Mercado

China anuncia abertura do sector financeiro a capital estrangeiro

17/11/2017 - 11:12, Banca

Empresas estrangeiras vão poder ser accionistas maioritárias de bancos, seguradoras ou empresas de gestão de valores e fundos chineses.

Dinheiro Vivo

A China anunciou nesta semana a abertura a curto prazo de todo o seu sector financeiro a investimento estrangeiro, o que permitirá a empresas externas serem accionistas maioritárias de bancos, seguradoras ou empresas de gestão de valores e fundos. A medida, simbolicamente anunciada no último dia da visita de Estado à China do presidente norte-americano, Donald Trump, permite a empresas de outros países adquirirem bancos chineses ou gerirem na totalidade firmas de seguros.

A abertura foi anunciada numa conferência de imprensa que em princípio servia apenas para um balanço da visita de Trump, mas na qual o  vice-ministro  das  Finanças  chinês,  Zhu Guangyao, explicou pormenores das medidas, que o governo chinês já tinha antecipado no dia anterior à delegação do presidente norte-americano.

No âmbito desta medida, vai ficar abolido o actual limite de propriedade de acções estrangeiras em bancos chineses, que actualmente era de 20% para accionistas individuais ou de 25% para grupos de vários accionistas.

A visita de Trump a Pequim serviu também para reforçar as relações comerciais entre as duas maiores economias do mundo. Assim, o governo chinês assinou acordos de negócios com empresas norte-americanas no valor total de 253,4 mil milhões USD.

Os acordos foram assinados durante uma cerimónia que contou com a presença de Trump e do seu homólogo chinês, Xi Jinping, e incluem a compra de chips, aviões, componentes para automóveis e soja dos EUA. “A China não fechará as suas portas e irá abrir-se ainda mais”, afirmou o líder chinês, prometendo que as empresas estrangeiras terão um mercado chinês “mais aberto, mais transparente e mais ordenado”.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.