Mercado

Contribuições aos fundos de pensões geram 12,8 mil milhões Kz em 2015

31/10/2016 - 16:45, Banca

No ano passado, os fundos abertos arrecadaram, fruto das contribuições dos participantes, apenas 38 milhões Kz, valor inferior ao do ano anterior (2014), em que as contribuições valeram 464 milhões Kz.

Por Estêvão Martins

estevao.martins@mediarumo.co.ao 

As contribuições dos participantes aos fundos de pensões no País geraram 12,8 mil milhões Kz em 2015, um aumento de 11,3% (1,3 mil milhões Kz) em relação a 2014, revela o Relatório Síntese do Sector Segurador e de Fundos de Pensões da Agência Angolana de Regulação e Supervisão de Seguros (ARSEG).

Segundo o estudo, em 2014, o sector dos fundos de pensões arrecadou 11,5 mil milhões Kz, contra 6,6 do ano anterior. Com efeito, os participantes dos fundos fechados tiveram contribuições de 12,7 mil milhões Kz em 2015. No ano anterior, citando o mesmo estudo, a contribuição dos participantes aos fundos fechados geraram 11,1 mil milhões Kz.
Os fundos abertos são os que menos contribuições concederam ao sector.

No ano passado, por exemplo, estes fundos arrecadaram, fruto das contribuições dos participantes, apenas 38 milhões Kz, valor inferior ao do ano anterior (2014), em que as contribuições valeram 464 milhões Kz. Em 2013, por exemplo, as contribuições aos fundos foram menores (38 milhões Kz).

Valor dos fundos

No que concerne aos valores dos fundos, o Relatório Síntese do Sector Segurador e de Fundos de Pensões indica que, em 2015, os fundos de pensões (abertos e fechados) valiam 175,5 mil milhões Kz. Em relação ao ano anterior, registou-se uma queda de 1,1% (mais de 2 mil milhões Kz).

A queda, relativamente a 2014, deveu-se ao fraco desempenho dos fundos abertos (apenas mil milhões Kz em 2015), contra 174,4 mil milhões Kz dos fundos fechados no mesmo ano.

Em 2014, os fundos abertos valiam 3,8 mil milhões Kz, e a queda face a 2015 foi de 73,6%.

Em 2013, os fechados valiam 72,8 mil milhões; em 2014, 173,3 mil milhões, e em 2015, 174,4 mil milhões.

Nesta altura o mercado conta com 31 fundos de pensões, menos um que o ano passado, dos quais oito abertos e 23 fechados.

No que toca a entidades gestoras de fundos de pensões, actualmente o mercado conta com oito, entre as quais cinco sociedades gestoras e três seguradoras, nomeadamente a ENSA, Nossa Seguros e Global Seguros.

Os activos sob gestão de todas as entidades gestoras de fundos de pensões no País rondam os 47 mil milhões Kz e contam 500 mil participantes, foi revelado.

Actualmente o número de participantes nos fundos de pensões e de pensionistas na segurança social é aproximadamente de dois milhões de pessoas.

Índice de penetração no PIB

À semelhança do sector segurador, a taxa de penetração do sector dos fundos de pensões no País, medida através do rácio dos prémios e do Produto Interno Bruto (PIB), apresenta valores bastante reduzidos, sendo que em 2013 o índice se fixou em 0,09%.

O dado vem expresso no estudo “Desafios e Oportunidades”, que caracteriza o sector segurador e de fundos de pensões no País, entre 2011 e 2013, divulgado no ano transacto pela ARSEG.
O manual revela igualmente que, ao longo do período em análise, a taxa de penetração apresentou-se entre os 0,1%, quando analisada na perspectiva das contribuições.

No entanto, relativamente ao índice de densidade, o qual traduz o montante gasto por cada cidadão em contribuições para fundos de pensões, assistiu-se a um decréscimo de cerca de três pontos percentuais no período entre 2011 e 2013.
O estudo revela, entretanto, que o sector dos fundos de pensões no País tem vindo progressivamente a crescer.

Este desenvolvimento, nota o relatório, traduziu-se num valor mais expressivo de activos sob gestão, maior número de contribuições, de pensões pagas, de capitais vencidos e de reembolsos.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.