Mercado

Seguro de saúde apresenta números superiores a 7 milhões USD

21/11/2016 - 10:48, Banca, Seguros

Nesta altura, a carteira do seguro automóvel, em relação a prémios pagos, está cifrada em 380,9 milhões Kz.

Por Estêvão Martins

estevao.martins@mediarumo.co.ao

O seguro de saúde foi o ramo que apresentou maior crescimento na Confiança Seguros, representando, em termos de facturação, números superiores a 7 milhões USD (1,1 mil milhões Kz), anunciou ao Mercado o administrador para o Resseguro e Investimento da Confiança Seguros.

Para Nataniel Fernandes, apesar de o seguro de saúde ser de elevada sinistralidade e de carácter dispendioso, em termos de gestão, os números apresentados pela companhia são animadores comparativamente aos anos anteriores.

O seguro de acidentes de trabalho é outro ramo que registou crescimento durante o ano que está prestes a terminar, segundo o responsável da companhia. O administrador informou igualmente que nesta altura a carteira do seguro automóvel, em relação a prémios pagos, está cifrada em 380,9 milhões Kz.

Balanceando a actividade desenvolvida pela seguradora, Nataniel Fernandes nota que o corrente ano foi carregado de importantes desafios, sendo que o abrandamento da economia, em quase todos os sectores de actividade, afectou de forma particular a companhia de seguros.

“Quando isto acontece, é como os dominós, e fomos apanhados por arrasto, em especial em alguns ramos de actividade como a construção, que durante muito tempo constituiu um importante sector para a seguradora”, disse, frisando que o sector patrimonial também diminui, face aos anos anteriores.

“Ainda assim, continuamos a trilhar o caminho firme e estamos confiantes num futuro promissor”, acrescenta. Este ano, de acordo com Nataniel Fernandes, entre os projectos relevantes desenvolvidos pela Confiança

Seguros, consta a mudança da instituição do centro da cidade para uma nova sede localizada a sul de Luanda, o que permitiu, conforme explica, expandir as equipas de gestão e melhorar a capacidade de atendimento aos clientes.

Outros projectos importantes, avança a fonte do Mercado, têm sido a participação da seguradora no projecto de lançamento do co-seguro agrícola e do relançamento do co-seguro dos petróleos, ambos sob liderança da ENSA.

Apesar de tecer elogios à gestão da maior seguradora nacional, ao contrário daquilo que foram os modelos anteriores, Nataniel Fernandes é de opinião que seria benéfico para o mercado caso não houvesse um líder predefinido para regime do co-seguro no País.

Em relação aos planos de crescimento da seguradora, o administrador refere que há, todavia, um longo trabalho pela frente para que a companhia venha a estar entre as três principais seguradoras do mercado, tanto a nível da distribuição como da comunicação, e até mesmo dos investimentos.

“Precisamos de fazer mais para chegar ao top3, mas acreditamos que o caminho faz-se caminhando, e se continuarmos a esforçarmo-nos arduamente, sobretudo sabiamente, acredito que podemos chegar lá”, garante.

Augura que o próximo ano seja de retoma no País, inclusive para a Confiança Seguros. Com efeito, a companhia espera crescer 20% em 2017 em relação a este ano.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.