Mercado

Aumenta adesão de médicos contra eventuais erros laborais

07/02/2018 - 14:21, featured, Seguros

O novo seguro de responsabilidade civil profissional da Fidelidade Angola para os médicos tem um prémio anual a partir de 30 mil Kz

Por Estêvão Martins

estevao.martins@mediarumo.co.ao

Nos últimos anos, aumentou, de forma significativa, o número de profissionais de saúde, nomeadamente médicos, que têm estado a solicitar o Seguro de Responsabilidade Civil Profissional (SRCP), para a cobertura de eventuais danos cometidos no exercício da profissão.

Neste momento, apenas quatro seguradoras – ENSA, Mundial Seguros, Master Seguros e, mais recentemente, Fidelidade Angola – comercializam este produto de seguro, que deverá tornar-se obrigatório para estes  profissionais  no  âmbito  do novo ‘pacote’ legislativo que o regulador do sector (ARSEG) está a preparar.

O SRCP para médicos cobre os danos eventuais cometidos por estes profissionais, seja qual for a unidade hospitalar onde ocorram, se for feito em nome individual. No entanto, caso seja a entidade patronal a fazer o seguro, são cobertos apenas os danos que possam ocorrer na instituição de saúde em causa.

A Fidelidade Angola, em parceria com a Ordem dos Médicos, apresentou entretanto, na semana passada, no XII Congresso Internacional dos Médicos em Angola, em Luanda, um SRCP para estes profissionais de saúde.

O produto conta com um prémio anual a partir de 30 mil Kz e garante a cobertura de erros ou faltas profissionais cometidas pelos médicos no exercício da actividade médica em Angola.

O seguro cobre danos patrimoniais e não patrimoniais, garantindo não só a protecção do médico como também de equipas médicas e cirúrgicas sob as suas ordens e responsabilidade. Ou seja, caso ocorra algum erro ou falha médica que cause danos a terceiros, estes serão indemnizados, sendo que o valor da compensação poderá atingir os 10 milhões Kz, de acordo com as diferentes opções de cobertura.

Contudo, há excepções. Por exemplo, o seguro tem exclusões específicas, no que concerne a experiências, ensaios ou testes clínicos, cirúrgicos ou medicamentosos, bem como a transmissão de doenças por sangue, caso do VIH. As exclusões incluem igualmente os danos causados pelos médicos por implantes, cirurgia estética, quimioterapia ou radioterapia.

Boa oportunidade

Segundo o director do gabinete de Marketing e Clientes da Fidelidade Angola, Paulo Edra, trata-se de um “produto inovador” no mercado, que surge para “responder às necessidades há muito sentidas pela classe médica”. O  que  a  Fidelidade  Angola  fez, adianta, foi “olhar para o mercado e perceber que uma determinada classe profissional precisava de um seguro com especificidades que a apoiassem no decorrer do seu trabalho médico, cuja actividade é fundamental para o bem-estar e funcionamento de uma sociedade”.

Foi nessa linha de pensamento, de acordo com Paulo Edra, que a Fidelidade Angola “optou por estabelecer uma parceria com a Ordem dos Médicos de Angola, acolhida com satisfação, para a criação de um produto inovador e cuja fiabilidade está, à partida, garantida”.

O responsável sublinha ainda que a parceria com a Ordem dos Médicos “atesta a notoriedade e a credibilidade do produto junto da classe médica, contribuindo para que os pacientes se sintam mais tranquilos e confiantes no acto médico realizado em Angola”. Expectante relativamente à reacção do mercado, Paulo Edra acredita que este seguro “vai contribuir para que os cuidados de saúde em Angola sejam desempenhados de forma mais protegida e segura”. O novo seguro Responsabilidade Civil Profissional – Ordem dos Médicos pode ser subscrito em todos os pontos de atendimento ao público da Fidelidade. Até 31 de Março, os subscritores beneficiam de um preço promocional.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.