Mercado

Desenvolvimento dos seguros deve passar pela Internet

23/12/2016 - 11:19, Seguros

As empresas seguradoras devem primar pela oferta de serviços em Internet das Coisas, por forma a facilitar os serviços oferecidos às populações.

Por Estêvão Martins

estevao.martins@mediarumo.co.ao 

Desenvolvimento dos seguros deve passar pela Internet, por forma alavancar o sector, defendeu o director do Instituto Nacional de Fomento da Sociedade da Informação (INFOSI), Manuel Homem, durante o II Fórum de Mercado Online de Seguros (web-seguros), que decorreu em Luanda.

Sob o tema “Como a Internet Transformará o Mercado Segurador Angolano”, o responsável nota que as aplicações da Internet das Coisas visam simplificar cadeias de produção e melhorar o conhecimento, bem como gerir o dia-a-dia dos utentes. Ele, que apresentou o tema “A internet das Coisas”, adianta que dados de sensores e dispositivos remotos precisam de estar combinados com um ou a mais sistemas back-end das empresas, incluindo os seus CRM, ERP e sistemas de depósito.

Devem também estar combinados aos pagamentos, atendimento ao cliente e outras aplicações para activar automaticamente as notificações e processos de negócios completos ou para fornecer um painel abrangente de todas as informações importantes. No seu ponto de vista, as indústrias e os governos mundiais têm vindo a investir para que as tecnologias sejam conduzidas a padrões aceites em todos os sectores e que permitam a interoperabilidade entre os dispositivos.

De acordo com o director, os usuários devem encarar a Internet das Coisas como uma realidade e como algo inevitável, porquanto a tendência de mobilidade e a facilidade de acesso às soluções em cloud (nuvens) propiciam um maior uso e integração da tecnologia.

Saiba mais, na edição nº83 do Jornal Mercado, já nas bancas.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.