Mercado

Nossa Seguros com prémios avaliados em 5,8 mil milhões Kz

05/12/2016 - 11:21, Seguros

No primeiro semestre do ano o volume de negócios situou-se em cerca de 3 mil Kz, representando um crescimento de 5% relativamente ao período homólogo de 2015.

Por Estêvão Martins

estevao.martins@mediarumo.co.ao 

Apesar do crescimento registado relativamente ao volume de negócios, Alexandre Carreira frisa que as vendas de seguros obrigatórios diminuíram face aos anos anteriores.

Consta igualmente que durante o ano, a Nossa Seguros passou a comercializar, por intermédio do canal bancassurance, produtos não ligado ao crédito, nomeadamente o seguro automóvel, vida, viagens e o seguro multirriscos habitação.

Novo fundo de pensões

Alexandre Carreira anunciou, por outro lado, que a companhia que dirige tem estado a trabalhar para o lançamento de um fundo de pensões aberto, cuja comercialização deverá ocorrer ainda no primeiro trimestre do próximo ano.

“Estamos envolvidos na actividade de gestão de fundos de pensões fechados desde 2012 e os números são animadores”, disse ressaltando a prioridade passa pelo desenvolvimento de um fundo de pensões aberto.

Em jeito de resumo da actividade realizada durante o ano que caminha para o seu final, o administrador reiterou que a seguradora deu continuidade ao processo de expansão geográfica dos seus negócios, com a abertura de duas agências, uma no Dundo (Lunda Norte) e outra no SIAC Talatona (Luanda).
Alexandre Carreira pontualiza também que a seguradora conta actualmente com 26 agências, a nível nacional, o que faz com que a Nossa Seguros seja detentores da segunda maior rede de distribuição do sector no País, logo a seguir ao BIC Seguros.

“A Nossa Seguros é a única seguradora local com um rating atribuído por uma das maiores agências de rating mundial, nomeadamente a FITCH”, garante.
Acrescenta que o exercício que ocorre anualmente, embora sendo um trabalho interno, é de grande importância pois cristaliza o compromisso com a transparência e a disciplina financeira, bem como contribui para a credibilização da companhia, quer a nível interno quer externo.

Crescimento

Os sectores da saúde, engenharia e construção foram os que mais se notabilizaram na actividade da Nossa Seguros, segundo a fonte do Mercado, que diz ter, em 2016, a companhia colocado no mercado um produto de saúde bastante competitivo, apresentando uma elevada taxa de crescimento.
De acordo com o responsável, o pacote dispõe de coberturas complementares, com evacuação médica de emergência para países como Brasil, Portugal, Namíbia e África do Sul.

Conforme nota o entrevistado, o crescimento nos ramos referenciados reflecte a resiliência do sector empresarial local, neste período de crise, bem como os esforços da Nossa Seguros em acompanhar as necessidades dos clientes e ao crescimento do próprio mercado.

Além dos ramos da saúde, engenharia e construção, que mais se destacaram em 2016, em termos de crescimento, o ramo automóvel é o que registou o maior volume de vendas em termos de apólices, afirma Alexandre
Carreira.

“Registamos crescimento apesar do seu decréscimo relativamente ao ano passado, motivado, por um lado, pelo incumprimento da obrigatoriedade do seguro, aliada à deficiente fiscalização por parte das autoridades competentes” refere.

Ainda assim, Alexandre Carreira destaca ainda que até Junho de 2016, o ramo automóvel registou um volume de vendas de cerca de 1.1 mil milhões de Kz. De uma maneira global, o responsável estima, para 2017, um crescimento da receita superior a 2016.
Em relação à quota de mercado da seguradora, Alexandre Carreira estima que deva a rondar os 6.5%, sendo que a companhia se encontra entre as cinco maiores do mercado nacional.

Por outro lado, Alexandre Carreira explica que a empresa pretende tornar-se numa seguradora Top 3 do mercado angolano até de 2020. Na sua opinião, essa visão assenta numa proposta de valor diferenciado para os diferentes segmentos de clientes, além do reforço da presença da companhia a nível nacional, por intermédio de uma estratégia multicanal.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.