Mercado

Grupo Arena projecta parque industrial para 2016

No que toca a investimentos anuais, consta que, em 2014, o grupo aplicou 1,2 milhões USD (152, milhões Kz), contra 3,6 milhões USD (457 milhões Kz) investidos no ano anterior.

Por Estêvão Martins | Fotografia Walter Fernandes

O Grupo Arena, que possui quatro empresas no seu portefólio de negócios, deverá dispor de um parque industrial no primeiro trimestre de 2016, anunciou ao Meracdo o CEO do grupo, Bruno Albernaz.
Localizado na zona do Sucesso, no Benfica, zona sul de Luanda, o projecto industrial contará com uma fábrica para a Betabrand, uma das empresas do grupo, com a disposição de serviços de serralharia, carpintaria e marcenaria.
O CEO precisou igualmente que o espaço terá ainda um armazém de retém, escritórios e um parque logístico. Em relação à Line Stands, outra marca do grupo, no espaço será projectada uma estrutura de pintura.
A execução da obra teve início em 2012, e os trabalhos estão a 50% da sua conclusão, segundo Bruno Albernaz.
Fundado em 2002, o grupo é detentor das marcas Eventos Arena, Line Stands e Betabrand. Participa na Openline Angola desde 2012,alargando a sua actividade no sector da construção, da engenharia, da manutenção e da reabilitação de edifícios.
No que toca a investimentos anuais, o grupo aplicou 1 milhão USD em 2007. Consta que, em 2014, o grupo investiu 1,2 milhões USD, quando noano anterior foram investidos 3,6 milhões USD.

Por dentro
Eventos Arena é uma empresa especializada na organização e gestão de feiras e eventos empresariais. Dispõe de um conjunto alargado de serviços que vão desde a concepção dos projectos à elaboração dos planos.
Há 12 anos que é responsável pela gestão e produção de inúmeros eventos corporativos, feiras de negócios, congressos, galas, concertos e inaugurações.
Bruno Albernaz informou ainda que a Eventos Arena tem como principais actividades a Feira Internacional de Benguela (FIB), que é realizada anualmente, a Projecta (feira do sector da construção), Sona Expo, referente ao sector petrolífero, e o Angola Motor Show, feira para marcas de automóveis, motas e equipamentos.
Este ano, a Eventos Arena realizou a Sona Expo, em Fevereiro, e a FIB, em Maio último. A Projecta, segundo Bruno Albernaz, acontece em finais de Outubro próximo. O Angola Motor Show, que inicialmente seria realizado em Junho, foi adiado e está sem data marcada para a sua realização.
A feira é realizada em parceria com ACETRO – Associação dos Concessionários de Equipamentos de Transportes Rodoviários e serve também para a comercialização e apresentação de novos modelos.
O adiamento do evento, segundo o CEO, deve-se a dificuldades na importação de viaturas e outros meios por parte da ACETRO, motivadas pela actual crise económica que o País atravessa.
A Line Stands tem como core business a concepção e montagem de stands e estruturas para eventos e feiras. Criada em 2004, é actualmente líder no mercado angolano no ramo e tem sido uma das responsáveis pela montagem de stands nos eventos realizados no espaço da FILDA.
A Betabrand, que conta com uma unidade de produção, é especializada em soluções de imagem corporativa para a criação de espaços comerciais, focando parte da sua actividade no desenho e produção de mobiliário para redes de atendimento público e de escritório.

Decréscimo nas vendas
Bruno Albernaz informou que o grupo se tem deparado, nos últimos meses, com decréscimos nas vendas em relação à Line Stands, por exemplo, devido à redução na oferta de serviços da parte dos habituais clientes.
Acrescentou que o facto fez com que a empresa adoptasse novas medidas de organização, criando alternativas internas no sentido de se encontrar outros segmentos de negócios capazes de fortalecer o grupo.
O primeiro passo tomado, anunciou Bruno Albernaz, tem que ver com a optimização dos recursos, visando a diminuição dos custos de produção, a fim de oferecer melhor preço ao cliente.
A segunda medida prende-se com a intensificação dos trabalhos em relação ao novo parque industrial.
“Com a mudança de instalações, pensamos optimizar o processo produtivo e os custos”, disse, salientando que é necessário que as equipas comerciais redobrem esforços no sentido da angariação de novos clientes.
Por fim, avançou, o grupo tem vindo a apostar no mercado internacional e nas demais províncias do País, sobretudo.
“Estamos a levar o grupo Arena a outros países para estarmos em igualdade de circunstância com a concorrência estrangeira”, afirmou, notando que nesta altura o grupo está presente em Portugal e no Brasil.
Falando da diversificação da economia em curso no País, Bruno Albernaz pontualizou que o processo deveria ter começado há bastante tempo.
“Tínhamos de explorar as outras riquezas importantes, além do petróleo, com forte aposta noutros  inertes no subsolo e em sectores como agricultura, turismo e indústria transformadora”, informou.
Admitiu que o País não tem necessidades de importar determinados produtos como sumos, sal, água, farinha de milho, pão, alho e cebola, mas entretanto criar capacidades para a população local, exportando o excedente aos países vizinhos.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.