Mercado

Risco soberano da agência Fitch debatido na reunião do BAD

23/05/2016 - 01:17, Sustentabilidade

Os presidentes do Chade, Idriss Deby, do Ruanda, Paul Kagame, do Quénia, Uhuru Kenyatta, Kofi Annan, Aliko Dangote, Tony Elumelu, confirmaram presença ao evento.

Uma delegação angolana chegou ontem, domingo, a Lusaka, capital da Zâmbia, a fim de participar, de 23 a 27 de Maio, na 51ª Assembleia do Grupo Banco Africano de Desenvolvimento (BAD) e na 42ª do Fundo Africano de Desenvolvimento (FAD).

A delegação é chefiada pelo secretário de Estado do Tesouro, João Francisco Boa Quipipa, e foi recebida no Aeroporto Internacional Keneth Kaunda pela embaixadora de Angola na Zâmbia, Balbina Silva. Integram igualmente a delegação directores e técnicos do Ministério das Finanças, do Ministério do Planeamento e do Desenvolvimento do Território e do Banco Nacional de Angola.

Para além das reuniões estatutárias, a delegação angolana tem previstos encontros bilaterais com a alta direcção do BAD com o objectivo de proceder uma avaliação das perspectivas de cooperação nos próximos tempos.

Haverá ainda a apresentação do Relatório do BAD sobre a economia africana em 2016 e diversos painéis com destaque para temas como “Os caminhos para a transformação da agricultura em África até 2025”, “Mesa redonda com líderes africanos sobre energia e alterações climáticas”, “Analise à evolução do risco soberano dos países de África subsaariana pela agência de ratting Fitch”, entre outros.

A assembleia anual do BAD tem na agenda assuntos diversos com destaque para aprovação do relatório anual 2015, rotação e eleição de directores executivos, aprovação das políticas relativas às operações e às finanças do grupo para os próximos anos, bem como debater temas de índole socioeconómica e financeira que possam influenciar o funcionamento da instituição e o desempenho da economia dos países africanos.

Este ano, as reuniões do BAD decorrem sob o lema “Energia e Alterações Climáticas” e, neste sentido, os delegados fazem uma analise às metas do COP-21, na antecâmara da reunião de Marrakech em 2017, uma vez que existem vários fundos disponíveis a apoiar os países a reduzir a emissão de gases poluentes e de efeito estufa, limitando o aquecimento do planeta em pelo menos dois graus Celcius entre 2030 e 2050.

Em Lusaka, de hoje à sexta-feira próxima, estarão cerca de 5000 delegados, entre os quais governadores dos países junto do GBAD e outros convidados da alta-finança internacional.

Amanhã, terça-feira, o Presidente da Zâmbia oferece um almoço oficial reservado aos convidados de honra e entidades protocolares no evento, nomeadamente, chefes de Estado e de governo, ministros, secretários de Estado e responsáveis do BAD.

Angola vs, BDA

Angola e o Grupo Banco Africano de Desenvolvimento têm vindo a intensificar as suas relações nos últimos anos. O País tornou-se em finais de 2015 o primeiro participante em África do FAD.

Consequentemente, o banco reforçou a sua carteira de investimentos no País e tem vindo a financiar projectos estruturantes do PIB, particularmente em sectores como energia, transportes e saúde.

Recorde-se que o BAD foi criado em 1964 e o FAD em 1971 e tem vindo a aumentar o seu apoio aos países africanos, principalmente em projectos de infra-estruturas ligados ao sector público – agricultura, transportes, água e saneamento e energia – e sector social, com destaque para a educação e a saúde.

As modalidades de financiamento predominantes do BAD são empréstimos directos à projectos e ou subsídios. O actual Presidente do GBAD é o nigeriano Akinwumi Adesina, eleito em 2015.

Altas personalidades ao evento

Presidente da Zâmbia, Edgar Lungu, vai proceder a abertura formal das reuniões na terça-feira, ao lado de seus homólogos de vários países africanos, governadores do Grupo BAD e o próprio presidente da instituição, Akinwumi Adesina.

Os presidentes do Chade, Idriss Deby, do Ruanda, Paul Kagame, do Quénia, Uhuru Kenyatta, confirmaram presença ao evento, segundo a organização. Nigéria será representada pelo vice-Presidente, Yemi Osinbajo, enquanto a Tanzânia e Moçambique serão representados pelos primeiros-ministros, Kassim Majaliwa e Carlos Agostinho do Rosário.

Outros participantes de alto perfil convidados ao certame são o antigo secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, o mega empresário nigeriano Aliko Dangote, entre figuras de destaque como Ashish Thakkar, John Kufuor, Mary Robinson, Mo Ibrahim, Nancy Lee, Ngozi Okonjo-Iweala, Tony Elumelu, o músico Akon, entre outros.

 

 

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.