Mercado

What’s up APPLE?

24/09/2015 - 15:49, Business, Tecnologia

Praticamente tudo o que circulou como rumor foi confirmado no grande evento da marca, em São Francisco.

Por Ana Rita Guerra* | Fotografia Bloomberg

O lançamento mais esperado era o dos dois novos iPhones, 6s e 6s Plus, que foram os últimos a serem apresentados. Em vez de um redesenho completo, como no ano passado, a Apple seguiu a tradição de refrescamento. As pré-reservas começam no próximo sábado, e os iPhones vão para as lojas a partir de 25 de setembro – mas apenas em dez países, um grupo do qual nem Angola nem Portugal fazem parte.
A tecnologia mais importante que chegará com estes modelos é o 3D touch, ou toque 3D. Consiste num mecanismo que detecta a pressão exercida pelos dedos e oferece várias opções diferentes – uma espécie de botão direito do rato. A gestos como fazer zoom e deslizar, adicionam-se agora peek e pop.
Craig Federighi, vice-presidente de engenharia de software da Apple, fez várias demonstrações da tecnologia, e um dos exemplos dados foi um link recebido por mensagem de texto; em vez de clicar no link, sair da aplicação de mensagens e ir para o site, poder-se-á usar o toque 3D para “espreitar” (peek).
Esta foi a tecnologia mais elogiada pelos analistas. “O toque 3D é o ‘momento iPhone’ para a indústria dos ecrãs tácteis”, escreveu o analista Neil Shah, da consultora Counterpoint Technologies.
Adiantou ainda que a consultora prevê que “um em cada cinco” smartphones terá algo semelhante no próximo ano.
As outras novidades foram ao nível das câmaras: a iSight (traseira) passa a ter 12 megapíxeis e a gravar vídeo de ultra-resolução 4K, e a Facetime (frontal) ganha um flash para selfies e passa a 5 megapíxeis.
Foi ainda apresentada a tecnologia “Live Photos”, que permite ver em movimento 1,5 segundos do momento em que a foto foi tirada. Não é vídeo, é uma espécie de GIF automático.
Em termos de hardware, os ecrãs têm o mesmo tamanho que o 6 e 6 Plus (4,7 e 5,5 polegadas, respectivamente) e vêm com processador A9 de 64-bit. A julgar pelo preço já disponível na loja Apple francesa, 739 euros (aproximadamente 829 USD) é quanto custará o 6s mais barato (16 gigas).
No que toca ao iPad, confirmou-se a versão Pro, com 12,9 polegadas. O mais invulgar, no entanto, são os acessórios: a caneta Apple Pencil, para desenhar, e uma capa-teclado semelhante aos Surface da Microsoft. Chegam às lojas em novembro, ainda sem preços para a Europa. O objectivo é apelar aos consumidores profissionais, embora esta seja uma estratégia de que Steve Jobs não gostaria se estivesse vivo – o co-fundador da Apple sempre gozou com as canetas para smartphones.
A outra estrela do dia foi a Apple TV, que veio acompanhada de um comando com apenas seis botões, uma zona táctil e integração com o assistente digital por voz Siri. Esta nova versão vem com sistema operativo próprio, tvOS, e integra a App Store e Apple Music. Além de aplicações como a loja de moda Gilt e os serviços Netflix ou Hulu, o grande foco está nos jogos: a Apple TV pretende ser um centro de entretenimento na sala. Não substitui consolas, mas dá um passo nessa direcção. Chega no final de Outubro e custará 149 USD nos EUA
*Dinheiro Vivo

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.