Mercado

ASA promove método de ensino híbrido em Angola

14/07/2017 - 12:52, Capital Humano

Luanda contará com duas escolas, a ASA Talatona, situada no condomínio Mirantes de Talatona, e a ASA Marginal, no Kalunga Atrium.

Por Vânia Andrade 

vania.andrade@mediarumo.co.ao 

A Câmara de Comércio dos Estados Unidos-Angola (USACC) promoveu, recentemente, um encontro para lançar as escolas americanas em Angola (ASA) com o intuito de promover a educação híbrida no País.

A apresentação do projecto foi feita por Marcos Agostinho, director-geral da ASA, durante a 54.ª edição do programa de convívio social para Executivos, denominado “1st Friday Club”, que este ano decorreu numa das unidades hoteleiras da capital.

No acto, o orador explicou que a ASA, quando pensou em trazer a educação americana para Angola, pretendia, de forma absoluta, trazer os melhores exemplos a nível de educação existentes nos Estados Unidos.

Segundo Marcos Agostinho, a ASA pretende oferecer aos estudantes nacionais a educação híbrida, um ensino diferente do tradicional, que consiste num modelo de educação formal que se caracteriza por mesclar dois modos de ensino: o tradicional com o online, em que geralmente o aluno estuda sozinho, aproveitando o potencial de ferramentas que podem, inclusive, guardar dados individuais.

Luanda contará com duas escolas, a ASA Talatona, situada no condomínio Mirantes de Talatona, e a ASA Marginal, no Kalunga Atrium.

Marcos Agostinho explicou que nesta metodologia os alunos que não conseguem acompanhar o mesmo ritmo dos colegas numa determinada matéria, por exemplo, terão a facilidade de receber aulas individualizadas, onde têm a vantagem de assimilar a seu tempo.

Esta metodologia permite ainda que o aluno entre para a escola sem ter de cumprir com as regras académicas habitualmente estipuladas pelas escolas tradicionais, ou seja, por o estudo ser individual, o aluno pode dar início às aulas mesmo a meio do ano lectivo, isso porque passará por uma avaliação para analisar o seu nível e as suas capacidades, sendo que depois é integrado no sistema.

“Entrar para a classe mais cedo ou mais tarde do que os outros alunos não influenciará na aprendizagem do estudante, porque o professor não lecciona em geral o conteúdo das matérias, mas sim de forma individual”, explicou.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.