Mercado

Google prepara óculos de realidade virtual sem fios nem smartphone

18/05/2017 - 15:01, Capital Humano, Empreendedor, featured

Empresa está a trabalhar com dois fabricantes de hardware no gadget, que será lançado ainda em 2017.

Por Ana Rita Guerra

Baseada na sua ambiciosa plataforma Daydream, a Google está a trabalhar com a HTC e a Lenovo no desenho e produção de um novo formato de óculos de realidade virtual.

Ainda sem designação oficial, o produto vai oferecer experiências de realidade virtual sem ser necessário colocar lá dentro um smartphone, como é o caso do Google Cardboard e do Gear VR, da Samsung, nem ligar a uma consola (como a PlayStation VR) ou computador (como o Vive da HTC e o Oculus Rift do Facebook).

“Estamos a tomar uma abordagem de plataforma com estes óculos”, disse Clay Bavor, que lidera a unidade de realidade na Google, durante o Google I/O, em Mountain View.

O design de referência foi feito em parceria com a Qualcomm, além do trabalho feito com a HTC (que já lançou o Vive) e com a Lenovo. Bavor explicou que estes novos óculos irão beneficiar de unidades de processamento e placa gráfica embebidas, além de melhorias drásticas no rastreio de movimento e posição. “Estes dispositivos vão chegar ao mercado no final do ano”, anunciou Bavor. “É uma nova categoria de aparelhos que achamos que as pessoas vão adorar.”
Não foi referido um preço de referência, mas o analista da Gartner Brian Blau disse que o ideal é que se posicione entre os 200 e os 300 euros. Irá assim colmatar uma lacuna que existe no mercado neste momento: por um lado, é possível comprar um par de óculos baratos, por cerca de 100 euros, que se usam com smartphone.

No outro extremo estão os sistemas que requerem consola ou computadores com elevada capacidade de processamento, com preços entre os 500 e os 900 euros. “Parece ser o melhor dos dois mundos”, disse Blau ao Dinheiro Vivo. “Dá para ter um ecrã grande e de boa qualidade, uma bateria portátil e o GPU e CPU que eles quiserem adicionar”, notou.

“A realidade virtual e outros tipos de dispositivos imersivos vão provavelmente ter vários formatos no futuro, e este aparelho independente representa o primeiro que é mesmo móvel, o que o tornará bastante interessante”, vaticinou o especialista. Ainda em relação à plataforma Daydream, a Google surpreendeu a audiência anunciando que será suportada pelo novo topo de gama da Samsung, Galaxy S8. É uma “estratégia interessante” da Samsung porque esta tem investido bastante na sua própria linha de realidade virtual, com o Gear VR e muitos conteúdos desenvolvidos em parceria com a Oculus.

Já sobre o projecto de realidade aumentada Tango, em que a Google está a trabalhar desde 2013, foi anunciado que a segunda geração de dispositivos chegará este verão. “O Pokémon Go mostrou-nos quão bom isto pode ser”, disse Bavor. O executivo aproveitou ainda para fazer mais um lançamento, o do VPS – Visual Positioning System, em coordenação com a equipa do Google Maps. O VPS permitirá obter informação precisa de posicionamento dentro de portas, sem ter de recorrer aos satélites que nos dão navegação GPS.

Dinheiro Vivo

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.