Mercado

Saiba porque é positivo aborrecer-se no trabalho

09/10/2017 - 10:31, Capital Humano, Gestão

Cientistas descobriram que temos tendência a obter melhores resultados quando não estamos concentrados em nenhuma tarefa ou assunto.

Por Dinheiro Vivo 

Os artistas sempre perceberam que a solidão é essencial para o processo criativo.

Agora não estão sozinhos, aos artistas juntaram-se economistas, cientistas e especialistas em política social, todos defendem que o tédio é vital para os negócios.

O investigador Scott Barry Kaufman, do Instituto de Imaginação, e a escritora de ciência Carolyn Gregoire publicaram um estudo, na revista Harvard Business Review, que defende que o tédio no trabalho é essencial para os negócios.

Vivemos em tempos que não são propícios à reflexão solitária e é crucial, para o bom funcionamento do nosso cérebro, não responder a tarefas ou estímulos imediatos e até mesmo concentrarmo-nos num assunto em particular.

Ao contrário do que o seu chefe possa pensar, não é sinal de preguiça.

Nos últimos anos, neurocientistas descobriram que o ser humano tem tendência a ter melhores ideias quando não está concentrado em nenhuma tarefa ou assunto.

Quando não nos concentramos em nada em particular – em vez de mergulharmos no nosso armazém profundo de memórias, ideias e emoções –, a rede do modo padrão do cérebro é activada.

Muitas das nossas ideias mais originais surgem da actividade deste processo. A rede do modo padrão do cérebro, conhecida como rede de imaginação, é constituída por três componentes principais – a simulação mental, o significado pessoal e a perspectiva – que muitas vezes trabalham juntos quando estamos a reflectir.

Ao usar as várias regiões do cérebro, a rede de imaginação permite recordar o passado, pensar no futuro, ver outras perspectivas e cenários, compreender histórias, entender e criar significados para as nossas experiências.

Activar esta rede requer reflexão interna profunda – o estado a que muitos artistas e filósofos se referem ao descrever o processo utilizado para chegarem às suas ideias mais originais.

Este tipo de reflexão é facilitado pela solidão, e é por isso que muitas vezes nós temos ideias criativas quando estamos a descansar ou a fazer tarefas mundanas e habituais, como tomar banho ou lavar a louça.

Na maioria dos empregos não é permitido que esta reflexão silenciosa seja feita no local de trabalho, no entanto, este processo é essencial para tirar o máximo proveito dos funcionários. Kaufman e Gregoire oferecem algumas dicas para que os gerentes ajudem as suas equipas a “recuperar a solidão e a melhorar a capacidade de pensar de forma criativa – sem diminuir a colaboração”.

Algumas das ideias destes investigadores incluem dar aos funcionários mais liberdade para trabalhar fora do escritório, especialmente quando têm em mãos projectos que exigem alguma criatividade.

Várias pessoas preferem trabalhar em casa ou num café quando têm de se concentrar numa tarefa. Kaufman e Gregoire sugerem que é necessário existir no local de trabalho uma divisão para os funcionários trabalharem sozinhos.

A maior recomendação destes investigadores é, no entanto, uma mudança de mentalidade, os responsáveis das empresas devem valorizar e promover as necessidades ocasionais de isolamento dos funcionários, mesmo que seja apenas uma caminhada na rua por pouco tempo.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.