Mercado

Japão financia formação técnico-profissional para jovens

23/10/2017 - 10:02, Universidade

Mais de 70 jovens beneficiam de ‘pacote’ formativo na área da construção com apoio japonês. Cenfoc organiza projecto-piloto.

Por Estêvão Martins

A Agência de Cooperação Internacional do Japão está financiar um ‘pacote’ de formação para mais de 70 jovens, que teve início nesta segunda-feira, 16 de Outubro, em Luanda, no âmbito do seu programa de apoio ao ensino e formação profissional no País. Tratase da primeira acção de formação em Construção de Estruturas Metálicas, Construção de Edificações e Assistentes Topográficos, que conta com o suporte técnico, financeiro e em infra–estruturas da agência.

Os cursos, com duração de dois anos, vão formar técnicos especializados nas áreas referidas, num projecto–piloto que está a ser organizado pelo Centro de Formação de Construção Civil (Cenfoc) de Viana.

Segundo o director-geral da instituição, Manuel Pimentel, em declarações à imprensa, os cursos têm uma estrutura modular e, ao longo da formação, os participantes vão “aprender vários aspectos que os tornarão especialistas nas áreas em que se vão formar”. Por exemplo, no curso de Construtor de Edificações, para além dos aspectos relacionados com higiene e saúde, organização laboral, entre outros, os formandos terão os módulos de pedreiro, electricidade industrial e predial, pintura e estuque, carpintaria, desenho técnico de construção civil, noções de desenho arquitectónico e desenho assistido por computador.

“Pretendemos que, no futuro, estes cursos aconteçam de forma modular e não completa, como irá ocorrer nesta primeira experiência. Ou seja, cada formando pode vir fazer apenas um módulo, como pintura e estuque, por exemplo”, disse.

Para o formando Osvaldo Gaspar, que vai frequentar o curso de Construção de Edificações, a oportunidade surge “numa boa fase” da sua vida e vai permitir-lhe “ganhar conhecimentos, aumentar o nível de preparação e, possivelmente, no futuro, abrir um atelierde construção civil”.

Alexandre Bartolomeu, por seu turno, que vai fazer o curso de Topografia, quer “ajudar na melhoria das obras públicas do País no futuro”.

Já Anderson Rosa, que vai fazer o curso de Estruturas Metálicas, afirmou ter “grandes expectativas” por ser um curso novo, que está ligado à sua área de formação superior. “Após o término da formação, pretendo criar uma microempresa ligada à área para fazer análise e estudo de estruturas metálicas”, disse.

Cinfotec formou mais de 11 mil técnicos

Entretanto, o Centro Integrado de Formação Tecnológica (Cinfotec) formou, nos últimos nove anos, 11.448 técnicos nos cursos de aperfeiçoamento e qualificação, entre particulares e empresas, informou, nesta segunda-feira, o director-geral da instituição, Gilberto Figueira.
O responsável esclareceu que os cursos de aperfeiçoamento têm uma duração de dois a três meses, sendo os mais solicitados pelos jovens que terminam o ensino médio e que frequentam o superior, para aliarem a sua formação teórica à prática.

Entre os cursos de aperfeiçoamento incluem-se os de Instalação, Configuração e Administração do Windows Server, Informática na Óptica do Utilizador, CCNA1 Introduction Network, Redes de Computador (básico) e Design Gráfico.

Os cursos de qualificação vão de 9 meses a 15 meses e abrangem as especialidades de Electricidade e Energias Renováveis, Mecânica Industrial e Automóvel, Transportes, Logística e Serviços, Tecnologias de Informação e Comunicação, Electromedicina, e Inovação e Empreendedorismo. Incluem ainda Atendimento ao Cliente, Marketing, Reparação de Telemóveis, Electrónica Analógica, Electricidade-auto, Higiene Segurança no Trabalho e Informática na Óptica do Utilizador, entre outros.

Rangel forma mais de mil

No distrito urbano do Rangel, 1381 formandos apurados no Cinfotec local iniciaram recentemente o primeiro ciclo formativo. O centro vai ministrar, numa primeira fase, quatro cursos de qualificação e oito de aperfeiçoamento  nas  especialidades  de Electricidade e Energias Renováveis, Mecânica Industrial e Automóvel, Transportes, Logística e Serviços, Tecnologias de Informação e Comunicação, Electromedicina, e Inovação e Empreendedorismo, entre outros. A instituição conta com formadores nacionais jovens, que estão a trabalhar desde Março passado. O Cinfotec visa a formação profissional inicial e contínua no segmento da alta tecnologia a particulares e também consultoria a empresas.

A instituição, inaugurada em 18 de Agosto, pelo ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, foi construída num período de dois anos e meio e tem capacidade para albergar 640 alunos por turno.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.