Mercado

Adesão aos depósitos indexados pode aumentar em 2017

30/12/2016 - 15:20, featured, Finanças

Instituições financeiras que apostarem mais neste instrumento financeiro podem ganhar vantagem pela captação imediata de novos fundos.

Por Fernando Baxi 

fernando.baxi@mediarumo.co.ao 

O depósito indexado é a modalidade de poupança que mais se adapta à realidade do sistema financeiro angolano, face ao ritmo crescente da inflação na economia (26,66%), defendem especialistas abordados pelo jornal Mercado.

Os especialistas argumentam que a preferência no depósito indexado consiste no facto de o capital aplicado, a curto ou médio prazo, ficar imune às flutuações cambiais que normalmente resultam na desvalorização do kwanza, face à principal divisa no mercado monetário-cambial (USD). “Esta aplicação financeira é suportada por uma cobertura de risco cambial”, dizem os especialistas.

Tendo em conta esses argumentos, o dólar norte-americano é a moeda preferencial para a indexação dos depósitos a prazo, como também defende Bernardeth Luís, economista especializada em finanças, pela exposição à economia.

“Para além de salvaguardar o valor líquido do capital investido na aplicação e os juros daí resultantes, o depósito indexado (ao USD) também proporciona taxa de juro efectiva superior, comparativamente ao depósito a prazo convencional”, disse.

Normalmente, na perspectiva de Bernardeth Luís, as instituições financeiras, sobretudo os bancos, apostam no depósito indexado pelo facto de ser um instrumento financeiro que permite a captação imediata de fundos frescos e “facilita o aumento da carteira de depósitos, contribuindo assim para o reinvestimento da liquidez”.

Leia mais, nesta edição nº 85 do Jornal Mercado, já nas bancas. 

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.