Mercado

Privados podem dar sustentabilidade ao sector de energia

09/12/2016 - 10:56, featured, Finanças

“Actualmente ainda é menos atractiva, por falta de infra-estruturas, que estimulem o envolvimento do capital privado”, sublinhou o titular da pasta de Energia e Águas, João Baptista Borges.

O sector de energia em Angola pode se tornar financeiramente auto sustentável, com a entrada de operadores privados no sistema de produção e comercialização do produto.

O ministro de Energia e Águas, João Baptista Borges, fez a afirmação em conferência de imprensa, na barragem hidroeléctrica de Cambambe, no Cuanza Norte. Segundo Angop, o mesmo considera ser um modelo viável para o desenvolvimento e melhoria do sistema de distribuição de energia no País.

“Actualmente ainda é menos atractiva, por falta de infra-estruturas, que estimulem o envolvimento do capital privado”, sublinhou o titular da pasta de Energia e Águas.

Evidenciou a importância da inclusão do sector empresarial privado no sector para o reforço da capacidade energética. Contudo, aconselha que de momento, o sistema não seja implementado devido o actual cenário económico.

Os investimentos na Barragem de Laúca estão avaliados em 4,5 mil milhões USD, enquanto no Ciclo Combinado do Soyo a empreitada está avaliada em mil milhões USD, perfazendo um total de 5 mil milhões USD.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.