Mercado

Nigéria investe em drones para vigiar petróleo

24/09/2015 - 16:38, Africa, Global Report

A empresa estatal de petróleo da Nigéria vai utilizar drones para vigiar o movimento de barcos que deixam os portos locais.

A Nigéria é o maior produtor de petróleo de África, mas as suas receitas têm vindo, nos últimos tempos, a diminuir, e não só por causa da queda do preço do barril. A grande fonte de rendimento da nação da África Ocidental enfrenta, desde há alguns anos, uma onda de roubos de petróleo que não pára de aumentar e que , para além do prejuízo financeiro, está também a custar centenas de vidas.
No espaço de um ano, entre Junho de 2014 e Junho de 2015, foram registados quase 4 mil ataques a oleodutos por todo o país, que resultaram em 350 mortos entre funcionários da NNPC, a empresa estatal de petróleo, polícias e simples cidadãos. Economicamente, estima-se que a Nigéria está a perder, diariamente, 15 a 25 milhões USD por causa dos roubos. Já em 2013, um relatório da Chatham House revelara que estavam a ser roubados, na Nigéria, cerca de 100 mil barris por dia, o equivalente a 5% da produção diária de uma nação onde o petróleo vale 70% das receitas do Estado. Só este ano, já foram detidas 250 pessoas apanhadas em flagrante delito de vandalismo de oleodutos um pouco por todo o país.
A solução encontrada pela NNPC para deter os furtos de petróleo passa pela tecnologia da moda: os drones. Oanúncio foi feito no início do mês por Ibe Kachikwu, director de operações da empresa, durante uma conferência sobre segurança no Golfo da Guiné que se realizou em Lagos.
“Vamos lançar uma armada de abordagens que incluem a incorporação de drones para vigiar os movimentos de embarcações nas nossas águas territoriais”, afirmou Kachikwu, de acordo com uma declaração oficial da NNPC. Segundo o responsável, a iniciativa pretende também auxiliar a marinha nigeriana, que carece de meios para levar a cabo patrulhas nas águas do país.

Corrupção
O presidente Muhammadu Buhari já tinha prometido reforçar a vigilância e a segurança nas instalações petrolíferas da Nigéria. Os testes com drones começaram em Junho e, agora, a operação está pronta para ser lançada em larga escala. O governo está ainda empenhado em travar a corrupção no sector petrolífero, que chegou ao ponto de o petróleo ser contrabandeado em navios pertencentes à própria NNPC.
Segundo uma auditoria levada a cabo pela PricewaterhouseCoopers, a corrupção no sector petrolífero já terá custado à Nigéria mais de 4 mil milhões USD. Em Julho, Buhari avisou mesmo que o governo não hesitaria em prender e processar anteriores ministros do Petróleo que se julga estarem envolvidos no contrabando de petróleo para fora do país.
O plano agora revelado deverá, segundo a NNPC, travar completamente os furtos de petróleo no prazo de oito meses. Kachikwu diz mesmo que, se os roubos não pararem, as operações nas quatro refinarias do país poderão ser postas em causa.
A utilização de drones na Nigéria não é, no entanto, uma novidade. Nos últimos anos, o exército nigeriano tem utilizado os pequenos aviões não tripulados em operações de vigilância e recolha de informações na já longa guerra contra os radicais islâmicos do Boko Haram, nomeadamente na busca pelas 200 raparigas raptadas pelo grupo na cidade de Chibok em Abril de 2014.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.