Mercado

Rio 2016 tem imitações autorizadas

15/08/2016 - 12:45, América Latina, Global Report

Venda de produtos falsificados alusivos aos grandes eventos causa graves prejuízos às organizações. Brasileiros resolveram o assunto colocando também à venda imitações.

Por Fernanda Mira

A praia de Copacabana é o centro turístico por excelência da cidade do Rio de Janeiro, Brasil. E durante este mês de Agosto a azáfama de pessoas que percorrem o famoso Calçadão é ainda maior. A realização dos Jogos Olímpicos levou à cidade milhares de turistas e potenciais consumidores de produtos alusivos ao maior evento desportivo do mundo. Como não podia deixar de ser, é ali que se encontra a maior loja oficial do Rio 2016, onde entram pessoas às centenas para levar para casa uma recordação.

Aqui, uma camisola branca estampada com o logótipo dos cinco círculos coloridos dos Jogos Olímpicos custa 95 reais (cerca de 30 USD). Um preço normal para um produto que leva a chancela de “oficial”, mas que não está acessível a todas as bolsas e que leva muitos a comprarem produtos falsificados. São de menor qualidade, e a venda não reverte para as organizações, mas são muito mais baratas.

Para combater este flagelo que atinge todos os grandes eventos e que chamam a si milhares de pessoas, os brasileiros resolveram esta fuga de dinheiro de forma original. A meia hora de Copacabana, está o mercado do centro da Cidade Maravilhosa.

Aqui uma camisola quase idêntica é vendida por… 40 reais (cerca de 13 USD). O tecido é mais fino, mas não se trata de uma falsificação, é uma versão low cost e que também é aprovada pelo comité organizador das Olimpíadas.

“A melhor forma de combater a pirataria é usar os produtos”, explicou Sylmara Multini, directora de licenciamento do Rio 2016, à Bloomberg.

“Se temos uma camisola a 40 reais, a gente acha que a maioria da população vai conseguir usar os nossos produtos.” Num momento em que muitos brasileiros não podem pagar os ingressos ou as lembranças da “sua” Olimpíada, os organizadores adoptaram uma nova abordagem para as mercadorias.

Além da grande quantidade de roupas de alto padrão a preços turísticos, o comité também licenciou uma enorme parafernália de imitações muito mais baratas. Os organizadores normalmente licenciam souvenirs por um preço determinado e depois vão agressivamente atrás das falsificações baratas.

A estratégia da Rio 2016 foi desenvolvida para derrotar os falsificadores com as suas próprias armas e atrair os habitantes de um país com salário mínimo mensal de 880 reais (280 USD), disse Sylmara Multini.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.