Mercado

Uber quer multiplicar motoristas na maior cidade de África

24/09/2015 - 12:18, Africa, Global Report

O objectivo é atingir 3 mil até ao final do ano na cidade nigeriana de Lagos.

A Uber está a negociar preços menores para novos veículos com a Kia Motors, para multiplicar por cinco o seu número de motoristas na cidade nigeriana de Lagos, a maior da África, para 3 mil, até ao final do ano que vem.
A empresa americana de reserva de carros assinou contrato com a fabricante de veículos sul-coreana e com o Access Bank, com sede em Lagos, para reduzir o pagamento de entrada exigido para novos veículos, de quase 200 mil para 95 mil nairas (477 USD), refere Alon Lits, director-geral da Uber para a África Subsariana.
“Desde que começámos em Lagos, há apenas um ano, foram criadas mais de 600 oportunidades de emprego usando o aplicativo”, disse Lits. “Isso realmente é só o começo. Nós sentimos que esse número pode ficar muito acima de 3 mil até ao final de 2016.”
A Uber, que conecta motoristas com passageiros através do seu aplicativo de smartphone em mais de 300 cidades, procura parcerias que reduzirão os custos para novos motoristas numa altura em que a empresa de São Francisco está em expansão em África, refere Lits.
Fundada em 2009, a Uber não possui veículos nem emprega motoristas, e as empresas de táxi existentes em cidades como Paris, Moscovo e Joanesburgo protestam contra o que consideram uma concorrência desleal.
Mapas sem qualidade
Entre os desafios enfrentados pela Uber em Lagos, primeira cidade africana subsariana fora da África do Sul a contar com o serviço, estão os congestionamentos e a má qualidade dos mapas, segundo Lits. Outra questão é que uma proporção relativamente pequena de nigerianos sabe manusear um smartphone bem o suficiente para gerir os deslocamentos, acrescenta Ebi Atawodi.
“O módulo smartphone é, normalmente, o que é de mais para as pessoas”, disse Atawodi. Embora as assinaturas de telefones móveis activas nigerianas tenham aumentado cerca de 14%, para 148,5 milhões, nos 12 meses até Julho, segundo a Comissão Nigeriana de Comunicação, menos de 10% são para smartphones, ou aparelhos com Internet. A Nigéria é o país mais populoso da África, com mais de 170 milhões de habitantes, dos quais cerca de 21 milhões moram em Lagos.
Para solucionar o problema do mapeamento, a Uber está neste momento a trabalhar com outras empresas de tecnologia em maneiras de dar indicações aos motoristas que não têm acesso às orientações convencionais.
Na capital do Quénia, Nairóbi, a Uber está a fazer testes com uma empresa local que está a desenvolver formas de enviar fotos dos locais em vez de apenas os endereços.
“Diferentemente dos mercados mais desenvolvidos, muitas vezes não há um endereço ao qual o motorista poderá chegar recebendo orientações detalhadas do caminho”, disse Lits.
“Oportunidade enorme”
O crescimento da Uber em Lagos poderá igualar a velocidade de aceitação do aplicativo na África do Sul.
Os motoristas da empresa na economia mais industrializada de África transportaram passageiros em mais de 2 milhões de corridas neste ano, contra cerca de 1 milhão em 2014, comunicou a empresa no passado mês de Julho.
Além de Joanesburgo, a empresa opera também em Durban e na Cidade do Cabo. Lits prevê que o número de motoristas sul-africanos aumentará para cerca de 15 mil por volta do início de 2017, contra 2 mil actualmente. “Lagos tem três vezes o tamanho da região metropolitana de Joanesburgo”, disse ele, em referência à sua população. “Há uma oportunidade enorme aqui.”

NR/Bloomberg

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.