Mercado

Ângela Ferrão bisa na Trienal de Luanda

31/03/2017 - 12:52, + Mercado, Life & Arts

A artista a quem pertence o hit Wanga, há muito ausente da ribalta, voltou a pisar o palco do Palácio de Ferro para um concerto intimista.

Por Pedro Fernandes | Fotografia Njoi Fontes 

Depois do concerto realizado no dia 14 de Outubro de 2016, na primeira fase da programação de concertos da III Trienal de Luanda, Ângela Ferrão voltou a pisar o palco do Palácio de Ferro para um concerto intimista.

Em uma hora de palco, a artista foi efusivamente aplaudida, ao mesmo tempo em que dirigia palavras de apreço ao público.

“É uma honra para mim poder partilhar com vocês este momento neste palco, onde referências da música angolana deixaram a sua marca, referiu a cantora visivelmente satisfeita.

Na ocasião, Ângela Ferrão interpretou as canções Lua wano, Tudo, enfim, Sala kanawa, Heroínas, Nzenze, Lázaro, Angelina, Não se vá embora, Wangae Kamuyaie.

No concerto, Ângela Ferrão foi acompanhada por Sandro Ferrão (guitarra solo e coros), Miqueias Ramiro (teclas), Yarke Spin (guitarra-ritmo), Kris Kasinjombela (guitarra-baixo), Yasmane Santos (percussão) e Necreuma Ferrão (nos coros).

O percurso de vida da cantora Ângela da Conceição Paulino começa na fazenda CADA (Companhia Angolana de Agricultura), grande produtora de café, nos arredores da Gabela, município do Amboim, onde nasceu.

Desde menina que evidenciou dotes para uma carreira artística de destaque. Com apenas cinco anos já cantava. Com o decorrer do tempo, Ângela foi aperfeiçoando os dotes musicais.Aprendeu a tocar guitarra e a cantar. Passou a interessar-se por todos os concursos musicais no Wako Kungo.Em menina, viajou inúmeras vezes em companhia do pai, com o conjunto Sagrada Esperança, para a cidade do Sumbe.Em alguns círculos era conhecida como a moça da viola.

Saiba mais, nesta edição nº97 do Jornal Mercado. 

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.