Mercado

Beatriz Sebastião

10/09/2015 - 14:56, + Mercado, Brunch with

A jovem empreendedora fala do modo como gere a sua vida pessoal e empresarial, do prazer que sente com o trabalho e ao ajudar o próximo, quando oferece uma oportunidade a quem realmente precisa.

Por Rosimaria Sousa | Fotografia Njoi Fontes

Ao som de uma música amena, no restaurante e bar Kosmopolis do Hotel Epic Sana, ficámos a conhecer um pouco mais sobre a vida empresarial e pessoal desta jovem empresária de 33 anos.
A natural da província de Luanda apresentou-se com um visual discreto e elegante, sorriso tímido e dona de um olhar cativante. Beatriz Sebastião é uma mãe muito dedica ao único filho e à Igreja Católica, religião que professa “fervorosamente”.
A nossa convidada  gosta de ajudar e oferecer uma oportunidade a quem realmente precisa. Desde muito jovem, procurou ajudar as pessoas que a rodeavam. Conta que gostava de solucionar os problemas alheios. Sentiu sempre a necessidade de fazer algo que ajudasse a mudar a visão das pessoas para com a vida e o mundo. Defende a ideia de que “nós sempre podemos fazer mais e melhor a qualquer altura”. Hoje procura passar esses mesmos ensinamentos ao seu filho e dar- lhe uma educação cristã.
Beatriz Sebastião é formada em Direito pela Universidade Piaget, conta que sempre foi o seu sonho. “Eu queria ter o poder de definir a vida das pessoas”, revela. Entre os docentes que mais a influenciaram, destaca com admiração a conceituada advogada Paula Godinho, que lhe foi de grande incentivo e ajuda durante a sua formação. Entretanto, o sonho de ser juíza é colocado de lado quando começa a constituir os seus negócios, por isso resolveu voltar às aulas, desta feita na área da Gestão Empresarial, para compreender e gerir melhor as suas empresas.
O seu primeiro negócio foi inspirado na série brasileira A Diarista, quando tinha 25 anos. “A princípio queria oferecer um serviço de babás, e logo percebi que podia alargar a oferta paulatinamente”, diz Beatriz Sebastião. Depois criou os serviços de limpeza doméstica e corporate, no sector de oil & gas, e fundou uma agência de viagens.
Hoje as suas empresas geram no total 500 postos de trabalho, um grupo constituído na sua maioria por jovens. Para ela, trabalhar com jovens é gratificante porque, tal como diz, “procuram esforçar-se mais, têm a ambição de querer melhorar e chegar longe”. Por esta razão, diz que é exigente. “Eu nunca estou satisfeita, porque sou bastante perfeccionista”, admite a nossa convidada.
Os desafios de gerir os seus negócios impõem a esta mulher a necessidade de abdicar de algumas coisas e priorizar o que no momento é o seu objectivo. Conta que um dos momentos mais difíceis da sua vida foi ter perdido a mãe. A dor da despedida deixou-a destroçada por ter perdido a orientadora para a vida. Mas, nesta altura, disse para si mesma, naquele momento, “os mortos por nós nada mais podem fazer, e, se queremos ser alguém e conquistar o nosso espaço, temos de ser nós próprios a traçar o caminho e percorrê-lo, até ao final, porque ninguém o fará por nós”.
Apesar da determinação, da coragem e da fé, Beatriz Sebastião afirma que não está sozinha, contou sempre com a ajuda daqueles que acreditaram nela. E as suas empresas mantêm-se, e tornou-se na empresária que é hoje com a ajuda de uma boa equipa. Além deste núcleo, conta com a assessoria de algumas pessoas nacionais e estrangeiras que a orientam, em total colaboração e empenho para tocar para a frente os seus empreendimentos.
“O respeito que tenho hoje, conquistei à base de muito esforço, sacrifício e perseverança”, considera a empresária.
Perguntámos-lhe sobre os actuais desafios e metas a atingir, ao que respondeu ser a aposta numa escola de formação técnica para o sector petrolífero. “Assinámos várias parcerias, e um dos parceiros já possui escolas em três países. A nossa intenção é replicar a experiência no País”, avançou. Ao perceber que alguns colaboradores não eram letrados, começou a dar alfabetização a estes. “Tenho duas salas de aulas, para o pessoal dos dois turnos, de manhã e à tarde.”

O outro lado…
Beatriz adora correr o mundo. Já esteve em países como Portugal, Itália, Brasil, França, Emirados Árabes Unidos, EUA e Espanha. Mas a sua grande paixão e fascínio são as artes. De todos os sítios que visitou, é do Dubai que mais gosta e que melhores recordações guarda. “É uma cidade maravilhosa e muito charmosa”, refere. Acrescenta ainda que, se pudesse, morava em hotéis pelo conforto e pragmatismo, livre de preocupações. Quando tem a oportunidade de ir a Paris, adora visitar o Museu do Louvre; ou o Coliseu, em Roma, e o Museu Picasso, em Espanha. Sente um prazer enorme no acto de apreciar as obras de arte, o contexto, contemplar a sua beleza e história. Quando está em casa, prefere passar a maior parte dos tempos livres a ler e a ver televisão. “O meu filho não escapa, ele vai sempre estar rodeado de livros, porque estou sempre a comprar… e a comprar.” Possui um gosto particular por livros de auto-ajuda, trabalho e romances. “Neste momento, a minha autora preferida é Joyce Meyer, uma pastora e autora cristã, que escreve de tudo, sobre as idiossincrasias humanas, etc.”, refere. Costuma usar frases de vida, como, por exemplo, acredita que aquilo que podemos ser, apesar dos obstáculos e perdas, não devemos desistir, porque lá mais para a frente o melhor está por vir. Outra das suas filosofias de vida é “viva um dia de cada vez e aproveite ao máximo”.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.