Mercado

Brunch With…Edson do Amaral

28/03/2017 - 10:24, + Mercado, Brunch with

Um cidadão do mundo, independentemente de ser angolano, e que, através da sua actividade, enquanto secretário-geral da AIIA e gestor de produto da Absolute Blue, engrandece o nome do País na diáspora.

Por Roberto Alves | Fotografia Njoi Fontes 

Edson Emanuel Conceição do Amaral tem 30 anos e um desafio sobre os ombros, que é a vontade de dar ao seu país um pouco do que bebeu nos países onde viveu. Com humildade, transmite aqui a sua experiência, no sentido de trazer para Angola todo o seu know-how em vários sectores. Para isso, Edson fundou a AIIA (Associação Industrial Itália-Angola) na Europa, seu continente de adopção, com sede em Itália, activa também em Portugal e França.

O nosso convidado desta semana nasceu em Luanda, no Bairro das Ingombotas. Tal como nos conta, os seus pais, também angolanos, são naturais do Uíge. Edson saiu cedo de Angola, tinha alguns meses apenas. “Os meus pais precisavam de trabalhar e não conseguiam encontrar uma creche que lhes permitisse estar tranquilos enquanto trabalhavam. Assim, viram-se obrigados a mandar-me para o meu avó materno, que vivia em Lisboa. Voltava a Angola apenas nas férias”, refere.

Desde então, e repentinamente, a vida tornou-o num globe-trotter, viajando à volta de países como Portugal, Itália, Congo, Angola e Líbia. Com 10 anos, já falava português, francês, inglês, italiano e árabe. Mais tarde, aprendeu também espanhol. E, aos 16 anos, foi para Londres, estudar Gestão de Empresas.

“Sair de casa tão cedo aguçou-me o espírito de observação e curiosidade, que me permitiu compreender os segredos das pessoas profissionalmente capazes que encontrei ao longo do meu percurso pessoal e profissional”, argumentou.

Conta que o seu primeiro emprego, entretanto, foi na lendária fábrica Mini-BMW de Oxford. Depois de uma experiência como vendedor na Universal Group, onde aprendeu a compreender a negociar através do diálogo com as pessoas, imediatamente percebeu que tinha uma forte vocação comercial.

“Os números falavam claramente e, num curto período, passei a participar activamente no crescimento de um grupo que foi depois cotado em bolsa, com resultados extraordinários”, lembra Edson do Amaral.

Revela com entusiasmo como foi para si muito interessante ver como, em menos de um ano, uma microestrutura conquistou todo o mercado, beneficiando de uma alteração de leis. Era o período da privatização energética inglesa. “O timingfoi perfeito”, salienta.
O regresso a Itália

Em 2008, Edson da Conceição regressa a Itália. Na altura, este país estava em crise e, depois de muitos trabalhos temporários, conseguiu encontrar trabalho na Mercedes-Benz, onde conquistou vários prémios. “Com ajuda das línguas e vocação comercial, tornámo-nos rapidamente a melhor estrutura da Mercedes em Itália, na qual ganhei todos os prémios de melhor funcionário e satisfação do cliente por dois anos consecutivos”, garante. Nessa mesma altura, o escritório onde trabalhava alcança resultados quase inigualáveis, fazendo com que os sistemas fossem aprovados em todo o território italiano, e hoje o grupo é líder absoluto em toda a Itália.

Mas para ele não era o suficiente, admite que precisava de uma direcção que pudesse aliar os negócios e o coração.

“Fiz nova viagem a Angola e compreendi melhor o que eu queria. Iniciei uma actividade de internacionalização, com uma empresa de construção em Itália. Mas até mesmo esta era uma resposta parcial. Sentia que faltava algo”, recorda.

Em 2015, à margem da Expo de Milão, o nosso convidado conseguiu juntar na mesma mesa os ministros da Saúde angolano e italiano.
Além disso, contribuiu para a assinatura de um memorando de entendimento para um acordo de colaboração de forma a levar para Angola o know-howitaliano, no domínio da saúde pública. Assim nasceu a AIIA.

“Juntámos empresas italianas altamente especializadas no sector da saúde, instituições públicas como universidades, centros de investigação, gestores especialistas em relações internacionais, empresas de comunicação e finanças”, conta o gestor.
Diz ainda, em resumo, que a AIIA se tornou desde esta altura um ponto de referência para todos aqueles que, em Itália, queiram fazer negócios socialmente úteis em Angola.

“Interessam-me aqueles que sentem entusiasmo e vontade real de fazer. Durante estes anos, temos envidado esforços para dar a conhecer os nossos projectos, e hoje, em Angola, sabemos que podemos contar com uma grande aceitação pela nossa iniciativa, por parte de bancos, associações empresariais e instituições privadas e governamentais”, disse.

E acrescenta que em Angola já muito foi feito, mas pensa na possibilidade de dar um contributo no que respeita à formação do pessoal, e noutros campos de actuação da AIIA, tais como a agricultura, pescas, infra-estruturas, indústria e cultura.
Edson do Amaral tem também um papel importante na empresa Absolute Blue, que organiza várias actividades em parceria com o Festival de Cinema de Cannes, a Liga dos Campeões e não só.

“Na Absolute Blue, criamos condições de brand activationcom actividades de marketingestratégico. Eu sou o director de produção, e o meu papel é seleccionar os parceiros e analisar, com os clientes mais exclusivos, as melhores formas de cooperação com a Absolute Blue e com os outros parceiros”, explicou o gestor.

A Absolute Blue, este ano, por exemplo, com o BNI (Banco de Negócios Internacional), disponibiliza em exclusivo em Angola a venda de 80 passes VIP (pacotes para duas pessoas) para terem acesso à experiência, através da MasterCard, da 70.ª edição do Festival de Cannes, a realizar-se em Maio próximo.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.