Mercado

Brunch With…Hugo Palhares Fontes

14/03/2017 - 08:50, + Mercado, Brunch with

Formado em Engenharia pela Universidade de Birminghan, na Inglaterra, o convidado desta semana tem nos desafios a sua filosofia de vida.

Por Vânia Andrade | Fotografia Njoi Fontes 

Hugo Fontes é consultor de gestão da McKinsey & Company em Angola, uma das maiores firmas de consultoria do mundo.

Ao contar a sua história, o entrevistado fez referência ao facto de gostar de ser desafiado intelectualmente, o que tem tido impacto nas escolhas profissionais que tem feito até então. Concluiu parte dos estudos em Luanda, entre o São José do Cluny, Colégio Elizângela Filomena e a Escola Portuguesa de Luanda. Em 2005, depois de uma curta passagem por Portugal, Hugo resolveu ir para o Reino Unido, onde se formou, na Universidade de Birmingham, em Engenharia Informática. Acabou o curso no meio da crise de 2008, e encontrar emprego em Londres era quase impossível. Depois de alguns meses à procura, foi por intermédio de uma amiga que trabalhava na Elite Internacional Carreers que se candidatou a uma vaga temporária. “Foi um desafio interessante ter trabalhado na Elite, cometi alguns erros, aprendi com eles, e tive a oportunidade de conhecer vários países e culturas”, realçou.

“Acabei por ficar cerca de 6 meses a apoiar as áreas de recrutamento e organização de eventos, e depois estive cerca de dois anos e meio na área comercial, na angariação de clientes para participação nas feiras de recrutamento e também programas de formação, tudo virado para Angola”, explicou.

Maior experiência de vida

Ainda em 2008, depois de ter terminado a formação superior, e antes de correr atrás de um emprego, Hugo Fontes foi desafiado pelo pai a fazer uma viagem de barco à vela, entre Lisboa e Luanda. Sem hesitar, aceitou a embarcar no desafio. “Na fase mais longa da viagem, o barco esteve durante cerca de três semanas a cerca de 300 km da costa, depois de uma paragem rápida em Tenerife e cerca de uma semana na ilha do Mindelo, em Cabo Verde, sempre com Luanda como destino final.

O engenheiro confessa ter sido uma experiência dolorosa mas também de muita aprendizagem. “Trouxe uma série de coisas desta viagem onde tivemos de dormir por turnos, manter-nos ocupados num espaço limitado durante dias sem fim – deu para fortalecer em termos de espírito e crescer enquanto pessoa”, revelou.
Já em 2012, em Luanda, e a convite do pai, começou a trabalhar para a SOAPRO, um grupo que opera na área de consultoria em arquitectura, engenharia e ambiente.

Disposto a dar o melhor de si e a adquirir conhecimento sobre diversas áreas, começou a trabalhar na área de marketing, mas depois passou a dar suporte a outras áreas, nomeadamente a de recursos humanos, informática e a área administrativa. Ainda no grupo, teve a oportunidade de ir trabalhar em Portugal, no Porto, para uma empresa parceira da SOAPRO.

Embaixador PBS em Angola

Durante o tempo em que esteve no Porto, o engenheiro não ficou somente pelo trabalho. Foi aconselhado, por um administrador da empresa em que estava a prestar serviço, a fazer o Curso Geral de Gestão (CGG), na Porto Business School, o que considera ter sido uma decisão acertada.

“Aprendi muita coisa, tive a oportunidade de conhecer a realidade empresarial portuguesa, o que é uma mais-valia para mim”, reconhece.

Depois de ter terminado o curso e regressado a Angola, o consultor foi convidado pela instituição a ser um embaixador PBS para o mercado angolano, convite este que aceitou com todo o prazer. O interesse surgiu por saber que a ligação entre Portugal e Angola a nível empresarial é saudável, e por achar que o CGG tem um grande valor agregado.

“Em parte, o meu interesse era saber qual a possibilidade de trazer o curso para Angola, porque acho que o CGG daria muito boas ferramentas aos gestores angolanos”, adianta o nosso entrevistado.

Novo desafio profissional

Passados dois anos a trabalhar para a SOAPRO, Hugo sentiu que queria fazer mais coisas e estar envolvido em projectos mais desafiantes, e candidatou-se à McKinsey & Company.

“Estava à procura de desafios, mas quando entrei não tinha noção da dimensão da firma nem do grande impacto que teria na minha vida”, revela.

Actualmente, Hugo Fontes é um dos consultores da firma em Angola e diz que, nestes últimos dois anos, trabalhou com clientes em Luanda e Joanesburgo, afirmando que a magnitude das coisas que se fazem na McKinsey não é equiparada a nenhuma outra que conheça. Questionado pelo Mercado sobre como se tornou num consultor de gestão, diz que, quando sentiu a necessidade de ser desafiado intelectualmente, começou a olhar para as várias opções que o mercado lhe oferecia.

“Comecei a pesquisar quais eram as grandes firmas de consultoria de gestão presentes em Angola, e decidi concorrer”, adiantou. Hugo Fontes diz que o processo de recrutamento da McKinsey em Angola funciona de igual modo ao dos outros países e que, para se entrar para a firma, o nível de rigidez é o mesmo da McKinsey nos Estados Unidos, China ou Reino Unido, por exemplo.

Afirma não ter dúvida de que o seu maior desafio pessoal para 2017 seja o filho recém-nascido, “espero conseguir dormir mais de três horas seguidas durante a noite nos próximos meses”, sublinhou num tom de brincadeira.

A nível profissional, o consultor da multinacional almeja continuar a crescer dentro da firma durante os próximos anos, continuando a gerar impacto nos clientes e para o País.

Para terminar, o nosso convidado falou um pouco de si. Afirma que se vê como uma pessoa em que se possa confiar tanto a nível
pessoal como profissional, em parte porque investe bastante nas relações pessoais e profissionais. De uma maneira geral, o que menos aprecia nas pessoas é quando há falta de organização que resulte em desperdício de tempo.
Partilha a vida amorosa com a esposa e com o filho recém-nascido. Nos tempos livres, sempre que pode, joga basquetebol. Uma das suas grandes paixões tem sido conhecer vários lugares.
Nasceu no ano de 1984 e já passou por 30 países, sendo o Vietname o que mais o marcou, pela sua simplicidade cultural, vaidade gastronómica e muitas paisagens bonitas. Todo o fim de semana come uma boa muamba, mufete ou calulu.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.