Mercado

Brunch With…Lelika Santos

13/02/2017 - 16:16, + Mercado, Brunch with

A empreendedora e administradora, que sonhava formar-se em Oceanografia, define-se como uma mulher perseverante, que não desiste facilmente, partilhando aqui as suas lutas e conquistas.

Por Líria Jerusa | Fotografia Njoi Fontes 

Dona de um sorriso encantador, tem uma voz suave e um rosto angelical, mas por detrás esconde-se uma mulher forte e muito determinada. Esta é uma das descrições da nossa convidada para o Brunch da edição que conta ser a 90 do jornal Mercado.

Lelika Santos é a primeira filha entre três irmãos. A sua vida académica teve início muito cedo, quando tinha apenas 4 anos e meio de vida e já frequentava a 1.ª classe. Tendo em conta a idade, foi necessária uma autorização dos pais para a futura empreendedora frequentar o ensino primário.

“Não fiz nem iniciação nem a pré. Entrei directamente na escola”, declara. Aos 8 anos, Lelika Santos entra para o Ngola Kanine, para frequentar a 5.ª classe, ficando marcada como a aluna mais nova da instituição. Aos 13 anos, entra para o PUNIV central para cursar Ciências Exactas, mas este não era o curso pretendido, pois a jovem empreendedora sonhava estudar biologia e formar-se na área de oceanografia, opção que foi marcada por influência de um familiar directo.

No mesmo ano em que decide mudar de curso, surge a oportunidade de Lelika concorrer a uma bolsa de estudo disponibilizada pelo Ministério das Pescas, tendo-se candidatado e sido aprovada, sendo uma vez mais a aluna mais nova recrutada.

O período formativo fora do País

Assim, em 1993, após ser aprovada nos testes, Lelika migra para Portugal, com apenas 14 anos. O facto representou um grande desafio para ela e para os seus progenitores, pois na altura os seus pais receavam a separação, pela sua tenra idade.

“Quando fui dar a conhecer aos meus pais que me havia candidatado à bolsa e passado nos testes, eles negaram de imediato, pois na altura eu era muito nova, e viver sozinha num país estranho e distante não lhes caía bem, nem aos meus avós”, relata.

Apesar de todos os contras da situação, Lelika Santos considera ter sido a maior e melhor experiência. Explica ainda que o que é hoje se deve não só à abertura que seus pais tiveram, como também à dureza com que lidavam com certas situações.

“Se hoje arrisco, é porque, nos momentos em que quis arriscar, me deixaram arriscar. Os meus pais diziam-me sempre que, se não corresse como desejasse, me lembrasse de que estariam lá, e Portugal foi para mim um grande desafio, eu era apenas uma menina que não sabia nada, não sabia cozinhar, engomar, lavar, e tive de aprender tudo sozinha”, confessa.

É assim que Lelika opta – e o conclui – pelo curso especializado de Gestão no Sector das Pescas.

Já com o curso médio técnico concluído, Lelika Santos sai de Portugal rumo à cidade de Cape Town, na África do Sul, onde inicia e termina a sua licenciatura em Marketing e Gestão de Empresas, homologada pela University Oxford Brookes, instituição onde mais tarde também faz a pós-graduação em Recursos Humanos.

O período de adaptação na África do Sul não foi nada fácil, pois a gastronomia era diferente, e o preconceito racial que se vivia naquela altura naquelas paragens era muito evidente.

“Foi muito difícil a minha adaptação à África do Sul, de tal forma, que fiquei muito feliz quando terminei os meus exames no dia 9 Novembro e no dia 10 voltei para minha terra natal”, desabafa.

A administradora crê que onde existem barreiras e dificuldades, nunca se deve perder a força. Com perseverança e fé, acredita que se podem conquistar grandes vitórias, por isso não se sente assustada com os desafios, estando consciente de que terá de os enfrentar para a concretização dos seus sonhos.

O percurso profissional

Logo aos 15 anos, teve início a sua experiência profissional.

Durante o ensino médio, teve o seu primeiro estágio profissional na empresa Pascoal e Filhos, e desde então abraçou vários desafios profissionais, nos mais variados sectores públicos.

Em 2001, após regressar à terra natal, Lelika Santos começa a trabalhar como técnica superior no Ministério das Pescas, mais propriamente no Gabinete de Estudos, Planeamento e Estatística, e em 2002 surge a oportunidade para trabalhar na TeleService (área de RH), onde chegou a exercer o cargo de directora. Aí seguiu cerca de 5 mil homens. Enquanto trabalhava como directora de RH, da TeleService, Lelika é convidada a dar aulas na Universidade Lusíada de Angola, o que concretizou durante quatro anos e meio.

“O curso tinha acabado de começar, posso dizer que os primeiros licenciados em Recursos Humanos da Lusíada também foram meus alunos.”

No decorrer de 2006, Lelika Santos concorre a uma vaga na BP Angola, onde é aceite e começa a trabalhar como conselheira na área de formação e desenvolvimento, e posteriormente como gestora de todo o processo dos bolseiros da BP Angola.

Em 2009, a administradora recebe outra proposta para trabalhar como directora de marketinge imagem do Banco BMF.

Actualmente, Lelika Santos é a fundadora, accionista e administradora executiva da Touch & Talk SA, uma empresa angolana especializada na implementação e operação de call centers. A empresa de Lelika, actualmente, emprega 150 funcionários.

Para si, a família é o seu grande pilar. “Somos muito unidos. Digo todos os dias que nada sou sem os meus filhos, os meus pais e os meus irmãos”, diz.
Considera os filhos como o melhor presente que a vida lhe concedeu. “Eles são o motivo que me levou a ser a mulher que hoje sou”, afirma.
Quando falamos sobre as suas ambições e os seus sonhos, Lelika declara que sua maior ambição é internacionalizar a sua empresa.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.