Mercado

Brunch With…Tânia Alcobia

10/04/2017 - 08:41, Brunch with

Uma mulher determinada e bastante exigente, com princípios bem assentes na educação que lhe foi dada desde pequena, fala de si, da carreira e do novo desafio como directora de marketing da Movicel.

Por Líria Jerusa | Fotografia Carlos Muyenga 

A entrevistada desta edição do Brunch With que marca ser a 98 do Mercado, entrou recentemente para o membro do Conselho Administrativo da Operadora móvel nacional, Movicel, ocupando o cargo de directora de Marketing.

Com um jeito descontraído e meigo, Tânia Alcobia, como foi registada, esconde por trás a mulher determinada que é, e sem rodeios abriu-se para falar sobre a sua vida particular e profissional.

Tânia Alcobia, apesar de ter nascido cá e ter dados primeiros passos do saber na sua pátria foi nas cidades lusa onde concluiu o todo o seu percurso académico como conta.

“Nasci em Luanda, e fiz aqui o meu ensino primário, entre o colegio Benfica, a escola Prédio do Livro e por fim na Augusto Ngangula” conta
Por decisão da família, juntos migraram para Portugal, atrás de melhores condições de vida e de ensino, na altura Tânia tinha 11 anos. Deu seguimento aos estudos, e na altura de entrar para a Universidade, muito por influência de seus pais, a entrevistada optou por fazer o curso de gestão empresarial, na Universidade Autónoma de Lisboa chegando até ao terceiro ano.

No entanto, como a paixão pela criatividade sempre falou mais alto a directora decidiu cortar os laços com a gestão e embarcar para uma nova aventura desta vez o porto era o Design.

“Como a criação me atraia mais, então decidi parar a minha licenciatura e optei por fazer Designer, estudei Design no IADE (Instituto de artes e designer de Lisboa)” Revela.

Passado alguns a anos, Tânia é convidada para estagiar na cidade do Porto na empresa têxtil Rendibor, pelo Instituto Português de Designer, onde trabalhou na área de Designer gráfico.

Mas este não foi o primeiro contacto com o mercado de trabalho da responsável de Marketing da companhia móvel. Segundo Tânia Alcobia, aos 20 anos enquanto estudava Gestão Empresarial a jovem trabalhava em estagio numa empresa Espanhola de Informática IF4 – Processamento de informações, Lda com sede em Lisboa.
“Trabalhei para ganhar experiência no mercado de trabalho, sobretudo em gestão de logística a área onde estava inserida, gostava e eu achava que era uma forma de ganhar dinheiro sem ter que estar a depender da mesada dos meus pais, e isto dava-me um pouco de autonomia” conta.

Algum tempo, surge um novo convite, mas desta vez para trabalhar numa editora de revistas, conhecida por “Impala”, onde acabou por se manter empregada por vários anos. Com bilhete a mão rumo à terra natal, a jovem directora é convidada para trabalhar na empresa OTS também como Designer gráfica, por onde ficou até há um ano atrás.

Sem saber que novos desafios esperavam por si, Tânia Alcobia, ainda disponível a enfrentar novos desafios profissionais é surpreendida ao receber um convite para fazer parte dos quadros da Movicel, e desta vez tivera sido convidada a assumir o cargo de directora de Marketing da empresa. “ Confesso que novos desafios me atraem, por isso não hesitei em aceitar o convite e predispus-me a assumir o cargo de liderança “ realçou.
Entretanto, para si, estar a frente do departamento de marketing não deixa de ser para si um desafio. “ Tenho enfrentado alguns obstáculos e não tem sido fácil, a nossa maior preocupação é desenvolver e crescer cada vez mais”.

Apesar deste se marcar como o grande duelo de Tânia devido a conjuntura que País enfrenta, e estar a frente dos novos projectos que a operadora tem em carteira a directora mantém-se confiante.

“Angola sempre foi o meu País e aceitei este novo compromisso de forma natural, e com certeza que conseguirei responder as espectativas que me foram impostas novo desafio” revela.

Por outro lado Tânia destaca a fase da elaboração dos novos planos face ao incremento UTT e dos novos modelos de telefones como a fase mais complexa. “Tivemos que trabalhar celeremente eu e a minha equipa, estamos responsáveis pela elaboração e ajustamento dos Planos e dos novos modelos de telefones que a Movicel lançou e irá apresentar ao mercado, queremos que a comunicação seja globalizada e transversal a toda população com menos custos e mais económica.

O outro lado

Falando um pouco de si, a directora revela que sempre foi uma menina muito tranquila, mas é bem verdade que esta tranquilidade não a impediu de servista como dona do seu nariz.

Quando questionada sobre seus gostos mais pessoais, o mar é a resposta que soa da boca de Tânia, deixando revelar o club naval como o seu clube de eleição do qual pratica Remos desde pequena. “Gosto muito de momentos tranquilos e o mar tranquiliza-me muito” revela. No que toca as suas qualidades a directora diz que prefere ser avaliada por aqueles que a observem, mas sobre seus defeitos descreve a teimosia e exigência como sendo dois dos seus imperfeições.
“Sou pragmática, e exigente no trabalho gosto de exigir das pessoas gosto que elas trabalhem e sejam proactivas e responsáveis e as vezes falta um pouco disto, as pessoas só não são proactivas porque não querem que lhes sejam dadas responsabilidades” assevera.

Análise do empresariado angolano

A directora acredita que os jovens precisam de uma aposta a 100% na educação, uma vertente onde há necessidade do estado intensificar e reforçar apoios, e só desta forma haverá evolução.

“É necessário que os jovens sejam autónomos e empreendedores não sejam apenas dependentes do que a escola fornece, as novas tecnologias oferecem hoje em dia uma vasta informação a todos os níveis; técnica, intelectual e cultural, a internet é uma biblioteca acessível a todos. É preciso saber escolher, optar pelo melhor para poderem fazer de diferente e não cair na mesmice, conhecer quais os mercados mais influentes. Por outro lado, Tânia mantém-se positiva e acredita que há jovens com potenciais e capacidade elevadas mesmo sem terem tido uma formação feita no exterior do País.

No que concerne a culinária, revela não abre mão do Funge de bombo com molho de bagre, quanto a leitura afirma que o seu livro de eleição é o “Quem me dera ser onda” de Manuel Rui monteiro, aponta Pepetela, Thomas Mann e Herman Hesse como seus escritores de preferência.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.