Mercado

Brunch With…Efigénia Tonha

10/01/2018 - 14:09, Brunch with, featured

A jovem gestora, responsável pelo marketing do Banco Millennium Atlântico, é um exemplo de empenho em tudo o que se envolve, quer a nível pessoal, quer a nível profissional.

Por Líria Jerusa Fotos Njoi Fontes

Efigénia Tonha é uma profissional de mão-cheia. A forma como fala e o que diz revelam a paixão pelo que faz, a sua carreira, a sua profissão, a sua vontade de vencer. “Se eu continuar a crescer deste jeito, então que venham os próximos degraus”, revela-nos a responsável pelo marketing do Banco Millennium Atlântico, após um longo brunchem que se falou um pouco de tudo. Reconhece que está entre as pessoas que tiveram a oportunidade de, logo a seguir à faculdade, entrar para o mercado de trabalho, imediatamente a seguir a terminar a pós-graduação em Banca, Seguros e Mercados Financeiros no ISLA, em Lisboa.“Vivi em Portugal desde os meus 11 anos. Depois de concluir os estudos, dei como missão cumprida e regressei ao meu país para dar o meu contributo”, recorda.

Ao ver aceite a sua candidatura, integrou-se rapidamente no então Banco Privado Atlântico, começando assim o seu trajecto profissional, isto em 2008. Nessa altura, desempenhava funções como técnica de operações. “Fazia as transacções bancárias, assim fui fazendo a minha caminhada, muito positiva porque tive sempre a sorte de ter líderes que apostaram em mim, ao entregarem-me cada vez mais responsabilidades, com um grande espírito de ensinamento e de passagem de princípios”, comenta.

Entretanto, Efigénia revela que sempre teve bastante ambição e quis fazer jus à memória do seu pai. “O meu pai dizia: a herança que deixo para vocês é uma caneta e um livro, para que vocês estudem”, lembra, num misto de orgulho e emoção.Fez o seu percurso e crescimento profissional de forma natural, dando provas da sua competência e responsabilidade.

Em 2012, foi desafiada a liderar de forma autónoma a área de middle office, a secção intermédia entre a área comercial e operações. “Aceitei com muito receio, pois achava que ainda tinha de amadurecer, mas fui bastante incentivada pelos meus líderes.

Foi então que abracei o desafio, que acabou por ser muito positivo”, afirma. Em 2016, foi-lhe lançado um novo repto: assumir o cargo de directora de marketing do Atlântico numa fase em que o banco iniciava a operação de fusão. “Esta fase foi bastante desafiante e continua a ser, pois não sabia qual era o nível de exigência. Estava agora a liderar uma equipa nova e que, ao mesmo tempo, vinha de duas instituições, com culturas diferentes. Mas a caminhada é longa, os desafios continuam, e existe fibra para continuar a marcar a diferença”, diz.

A paixão pelo sector bancário foi crescendo. Hoje, Efigénia confessa que não se vê fora deste sector, que a conquistou e tem permitido que cresça, quer profissionalmente, quer a nível pessoal. “Tenho uma elevada estima pela liderança do banco Atlântico, que desde o primeiro momento apostou nas pessoas e conseguiu que cada um de nós colocasse o seu ADN na instituição”, confessa.

O outro lado de Efigénia Tonha…

Nascida em 7 de Setembro de 1983, em Luanda, casada e mãe de um casal, a sua infância foi dividida entre o Huambo e Luanda até à altura em que foi para Lisboa. Recém-chegada a Portugal, Efigénia teve de lidar com um dos piores momentos da sua vida, a morte do pai, quando ainda tinha 11 anos de idade. Por outro lado, a conciliação entre a família e o lado profissional tem sido difícil, pois trabalha afincadamente – das oito da manhã às oito da noite – e pouco tempo lhe resta para o convívio com amigos e familiares. Quando perguntamos sobre os seus gostos, diz, sem poupar palavras: “Sou amante da moda, adoro sapatos, malas, roupas, aprecio mesmo as tendências, pode até parecer fútil, mas eu gosto de estar bem e de me sentir bem com o que visto.”

Revela ainda que gosta de ler e não abre mão de um bom romance. Cita Nicholas Sparks e os policiais de Agatha Christie como os seus predilectos. Releva de igual modo que aprecia séries (House of Cards, Breaking Bad, Designated Survivere Scandal), porque aprende muito com elas, assim como com os livros.

A Rapariga do Comboio, de Paula Hawkins, é o livro que tem na cabeceira neste momento. Efigénia é também uma mulher de família. Determinada, leal e atenta. Qualidade que exibe tanto no aconchego do lar como no local de trabalho, traços de uma personalidade também identificados na relação saudável que mantém com a sua equipa de trabalho. Diz que preza muito os amigos de longa data. “Tenho a sorte de trazer muitos e bons amigos da infância, mas também tive a oportunidade de conquistar novos e verdadeiros amigos”, revela. Sobre os seus sonhos e o que projecta para si daqui a 10 anos, a nossa convidada diz que ambiciona crescer cada vez mais e ser reconhecida por aquilo que faz e, se puder, continuar a fazer a caminhada que tem estado a fazer e ser uma excelente profissional. Como ela própria diz: “Se eu continuar a crescer deste jeito, então que venham os próximos degraus.”

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.