Mercado

Diane Schuur: A inspiradora primeira-dama do jazz

25/01/2017 - 15:26, + Mercado, Life & Arts

A cantora e pianista norte-americana Diane Schuur é considerada uma das principais vocalistas do jazzcontemporâneo. Ela é tão ecléctica quanto brilhante, com mais de 30 anos de carreira, 20 álbuns e dois Grammies.

Por Katila de Jesus

Diane Schuur nasceu em Tacoma, Washington, em 1953, cega, mas dotada de uma afinação perfeita. Inicialmente aprendeu a tocar piano pelo ouvido, mais tarde recebeu formação formal na Escola Estadual de Washington para cegos, até aos 11 anos.

Apelidada Deedles desde criança, ela cresceu cercada pelo mundo do jazz, influenciada por ambos os pais. O pai era um pianista amador, e a mãe mantinha em casa uma colecção de álbuns de Duke Ellington e Dinah Washington. Não é por isso surpreendente que Dinah Washington seja frequentemente listada como a maior influência vocal de Schuur, ela aprendeu a cantar com esta artista icónica What a Difference a Day Makes, enquanto ainda era criança. Além disso, desenvolveu o seu próprio estilo vocal, rico e ressonante, ainda era ela muito jovem.

A cantora e pianista foi descoberta pelo saxofonista Stan Getz nos anos de 1970 e tornou-se a primeira-dama do jazz, com mais de 30 anos de carreira e 20 álbuns, com dois dos quais ganhou o Grammy (Timeless e Diane Schuur & The Count Basie Orchestra pela GRP Records), além de três indicações adicionais. A música de Schuur explorou quase todos os cantos da paisagem musical do século XX. Com uma carreira distinta, as suas colaborações musicais incluem a Count Basie Orchestra, Barry Manilow, B.B. King, Ray Charles e Jose Feliciano,entre outros. Essas colaborações resultaram em numerosas gravações e lideranças nos tops Billboard Chart, incluindo Pure Schuur e Heart to Heartcom B.B. King; Ms. Schuur apareceu na PBS e em muitos outros especiais de televisão. Diane foi convidada a apresentar-se na Casa Branca em várias ocasiões e foi um dos convidados musicais seleccionados para homenagear Stevie Wonder no Kennedy Center Honors, quando ele recebeu o seu prestigiado prémio. Neste evento, ela agradece ao artista por inspirar outros artistas cegos a fazerem a diferença no mundo.

Schuur gravou recentemente uma homenagem para dois de seus mais importantes mentores, Frank Sinatra e Stan Getz. O CD, intitulado I Remember You(With Love to Stan and Frank), lançado em 10 de Junho de 2014, também comemorou a sua descoberta “oficial” no Monterey Jazz Festival.A gravação inclui todos os novos arranjos de Alan Broadbent e, além do sr. Broadbent no piano, inclui a banda de Ben Wolfe, Ulysses Owens Jr., Romero Lubambo, Roni Ben-Hur e Joel Frahm. A sua voz dócil interpreta alguns dos melhores coverscomo Cry Me a River, de Ella Fitzegerald, e o mais que célebre Amazing Grace,do álbum Deedles,de uma forma divinal.

Memoráveis mesmo são os duetos, com gigantes como Ray Charles, em It Had to Be You.

A vocalista e pianista inspira comentários elogiosos em todo o mundo, sendo também conhecida como a primeira-dama do jazz. Diane Schuur é muito conhecida por personificar as intenções dos compositores, e no Great American Songbookexiste uma nota que descreve Schuur como uma das poucas músicas dejazzque possuem um swingcom intensidade sincera. Diane Schuur continua até aos dias de hoje em tournée e a realizar extensivamente grandes shows, em salas de concertos e diferentes locais ao redor do mundo.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.