Mercado

“Tenho princípios muito fortes dentro de mim” – Yara Mosquito

13/08/2015 - 10:27, Entrevistas

A Embaixadora da Boa Vontade da UNICEF em Angola tem 23 anos e um coração do tamanho do mundo. Yara Mosquito na primeira pessoa.

Por Nilza Rodrigues fotos gentilmente cedidas por Alina de Oliveira

Os olhos rasgados, o sorriso aberto e uma vontade – imensa! – de mudar o mundo. Gosta de moda. De televisão. De jurisdição. Mas sobretudo de “lutar pelos direitos das mulheres, dos idosos e das crianças”.
A segunda neta do empresário António Mosquito é, aos 23 anos, a determinação em pessoa.
Convidada pela UNICEF para ser Embaixadora da Boa Vontade em Angola, Yara Mosquito Faria, de seu nome completo, e Escorpião de signo, não se inibiu com o desafio. “Sempre estudei em escolas de madres católicas, o que acabou por ser determinante na minha personalidade. Tenho consciência moral e religiosa de amor e respeito ao próximo, e iniciei cedo o meu papel social de ajudar os mais necessitados.”
Um impulso que, confessa com alguma graça, começou aos 6 anos, altura em que “adorava ver a postura das advogadas, como se vestiam, e dizia sempre que queria ser como elas… e lutar pelos direitos dos mais desfavorecidos”.
Aos 21 anos, licencia-se em Direito e começa a dar maior visibilidade aos seus projectos sociais, e é nessa sequência que a UNICEF a contacta. “Recebi o convite para ser Embaixadora da Boa Vontade em Angola pelo SOS Children’s Villages, com a missão de zelar pelos direitos das crianças angolanas.” E explica com emoção: “Na Aldeia, albergamos crianças que na sua maioria são órfãs, por terem pais falecidos por doenças terminais, pais presidiários e outras situações similares. Estes menores precisam de tudo, água, alimentos, livros, matérias escolares, luz…” É um vasto leque de necessidades diárias para as quais Yara chama a nossa atenção através das mais variadas formas.
A moda, por exemplo. Embarcou no desafio, em homenagem ao avô Faria, que sempre lhe cogitou sucesso no mundo das passerelles. Fez-lhe a vontade… e voilà. Conquista o título de Miss Huambo em 2014, e nesse mesmo ano embarca no mundo da televisão. “Sempre gostei de moda e da arte do bem vestir. Aos 16 anos comecei a fazer à mão os meus próprios vestidos. Depois de o meu avó paterno ter falecido, decidi realizar o seu sonho, e foi então que participei no concurso de misses e aproveitei para lançar a minha marca de vestidos de gala.”
E também uma boneca. Sim. Yara Mosquito tem uma boneca feita à sua imagem. Elegante e… solidária: “A boneca MYM foi a forma que encontrei de lançar um projecto em que pudesse reverter valores para ajudar as minhas crianças.” E, a propósito, revela a sua preocupação com a maternidade na adolescência, na medida em que Angola tem de conseguir que “a informação sobre a importância do uso de contraceptivos chegue a todos”. Sobre a família, mostra-se orgulhosa, mas reservada: “Com toda a certeza, a minha família é a base de tudo, tudo o que faço é graças à educação que tive dos meus pais. Tenho bases e princípios de família muito fortes em mim.” Sesente o peso do apelido? Ri e esclarece: “Acredito que a educação dos meus país foi fundamental na criação da pessoa que sou hoje.” Apenas isso.
Assume, por tudo isto – pela sua formação, pela sua paixão por Angola, pela sua garra em fazer a diferença –, um compromisso sério: “Vou continuar a dar o meu contributo no desenvolvimento social do meu país, e na maneira como os angolanos são vistos internacionalmente. A receptividade que cidades como Milão, Nova Iorque e até mesmo Lisboa têm para com os angolanos e africanos é a prova disso. Tenho muito orgulho de ser africana, orgulho em ser angolana.”
Yara Mosquito nasceu no Huambo, teve uma infância que descreve como tranquila, e encontra na família o seu porto de abrigo. “O futuro a Deus pertence”, remata, mas acredita que está destinada a fazer, sempre, projectos ligados à solidariedade.

Um coração solidário
Yara Mosquito nasceu na província do Huambo em1991. Saiu de Angola aos 6 meses, pela mão do pai,
que foi para Portugal estudar Medicina Veterinária. Regressa ao País aos 6 anos. Estudou sempre em colégios católicos e foi sempre uma aluna extremosa, recebendo inclusive menções honrosas na área das ciências sociais e políticas. Depois de concluir o ensino médio com 17 anos entra para a faculdade de Direito, e abre o seu primeiro empreendimento, um cabeleireiro em Viana. Mas conciliar o empresariado com os estudos não foi fácil, e Yara decidiu-se pelos segundos, pois queria mesmo formar-se em Direito e ajudar na luta pelos direitos dos mais desfavorecidos.
Termina o curso aos 21 anos, e o seu coração solidário chamou a atenção do mundo. Aos 22 anos é nomeada a primeira Embaixadora da Boa Vontade em Angola pelo projecto SOS Children’s Villages, associação que existe em mais de 140 países no mundo. Aceitou o desafio, e tudo tem feito para honrar esse convite, na medida em que tem investido o seu tempo e notoriedade para lançar o alerta sobre estes temas sociais. No mesmo ano, em Novembro, estreia-se na televisão como apresentadora, na TPA1 e TPA Internacional, do programa Sábado Especial, ao lado do reputado apresentador Sérgio Rodrigues, tendo como público-alvo o juvenil. Lançou também uma colecção de vestidos de gala Miss Yara Mosquito e uma boneca chamada MYM. Mas Yara Mosquito não pára por aqui. Novos desafios se abrem. Radialista, ambientalista e apresentadora de TV, acredita que os seus projectos vão passar sempre pela solidariedade, dada a sua formação.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.