Mercado

Abertas candidaturas para fotografia experimental angolana

11/01/2018 - 09:23, Life & Arts

Cerimónia de outorga da edição 2017 teve lugar na última quarta-feira, no Museu Nacional de História Natural. Na mesma ocasião, aconteceu o lançamento da obra Enviesada Rosa, de Hélder Simbad.

As candidaturas para fotografia experimental angolana, com o apoio da Vidrul, estão abertas no Espaço Luanda Arte (ELA), e as inscrições vão até 28 de Fevereiro 2018, segundo o promotor do concurso. Em comunicado, o director do ELA, Dominick A. Maia-Tanner, explica que esta será a sétima edição do concurso. Os trabalhos que são seleccionados para a exposição, adianta, costumam ser “obras instigantes de arte, que nos ajudem a reflectir sobre o poder da fotografia no dia-a-dia do angolano, seja na relação familiar, religiosa, ficcional, ou sentimentos”.

Espera-se que, este ano, haja uma grande adesão, porque no ano passado, segundo a organização, houve mais de 21 candidatos ao open call, o que representou a maior participação até à data. “Isso significa que a fotografia está cada vez mais viva no plano nacional. A missão da Vidrul como mecenas em ajudar a fomentar a fotografia experimental nacional, através do Vidrul Fotografia, como projecto, está a ser cada vez mais reconhecida e a ter cada vez mais resultados”, diz o director do ELA.

Ainda não se conhece o sloganda edição deste ano, sendo que, no ano passado, Bué prà frentefoi uma forma de demonstrar os primeiros passos dados nas primeiras exposições, que ajudaram a entender mais sobre a identidade da fotografia angolana no século XXI. Além disso, reflectiram “a missão da Vidrul Fotografia em promover maior compreensão e apreciação das implicações artísticas, evolucionárias, sociais e culturais das imagens no mundo de hoje, desafiando os críticos”. A Vidrul Fotografiaé “uma plataforma fotográfica experimental e fábrica inspiradora”, criada em 2012, que desafia fotógrafos angolanos, residentes ou na diáspora, a trabalharem com fotografia no mais amplo sentido. É umaoportunidade única para os fotógrafos angolanos se estabelecerem cada vez mais, como opinion makersque são, de exporem as suas propostas e influenciarem o mundo da arte contemporânea angolana”. Já passaram neste certame a curadora Keyezua, o artista Kota, a UNAP, que apresentou na 4.ª edição uma mostra colectiva na Academia BAI, bem como António Ole, Hugo Salvaterra e Jordana Leitão. A Vidrul Fotografiatem o apoio da empresa vidreira, Ministério da Indústria, UNAP e Adriano Maia Internacional.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.