Mercado

Perrier-Jouët, o champanhe do amor

23/01/2018 - 16:21, Life & Arts

Fruto de uma história de amor, com mais de 200 anos, esta mais ontem percorrido mundo.

Por Nilza Rodrigues

A délaide Jouët e Pierre-Nicolas Perrier escreveram uma história de amor que perdura há 200 anos e que começou com um sonho: fundar uma autêntica maisonde champanhe para a criação de um champanhe único. Passados mais de dois séculos, este autêntico champanhe de características elegantes e florais apela ao romance neste Dia dos Namorados, sugerindo um flutede Perrier-Jouët a acompanhar uma refeição especial, como forma de celebração. Fomos conhecer a sua história. E as suas outras histórias.

Especial entre os especiais

Com um estilo único, que aposta em motivos florais, cada cuvéeé minuciosamente trabalhada, como uma renda de seda, revelando o estilo elegante e lapidado da Maison Perrier-Jouët. Prova disso são os produtos criados para acompanhar cada garrafa de champanhe. Falamos, por exemplo, da Árvore Encantada, idealizada por Tord Boontje, que serve para suportar a garrafa remetendo, uma vez mais, para motivos românticos e florais. Também a garrafa Belle Époque, considerada uma obra de arte graças ao seu designcriado em 1902 por Émile Gallé, pioneiro francês do movimento de Art Nouveau, e cujo padrão floral esmalte representa uma anémona japonesa. A mesma anémona reflecte também a forma de um bouquet floral, simbolizando a riqueza e a estrutura dos vinhos. Mas a qualidade e o toque de requinte que se obtém a cada prova e que fazem com que este champanhe tenha sido considerado único por celebridades como Napoleão III, Leopoldo I da Bélgica e Orson Welles, e seja apreciado em espaços Premium como o Harvey Nichols Bar, The Royal Opera House, ambos em Londres, o La Rinascente, em Milão, o Club A, em São Paulo, e o Parfum, em Pequim, devem-se à riqueza das suas vinhas, situadas no coração do “triângulo mágico” da região de Champanhe: CramanteAvize, Aye Dizy, Mailly.

A par desta fabulosa localização, a técnica de produção levada a cabo pela Perrier-Jouët em muito se assemelha à destreza de um ourives. A Casa – ou Maison – Perrier-Joüet tem uma enorme experiência na selecção e no trabalho com crus sempre com o objectivo de criar cuvées de grande precisão. Os crus individuais

são mantidos separados em cubas de pequena capacidade, preservando as suas características individuais e respectivos terroirs. Na Perrier-Jouët, a selecção do Pinot Meunier – que é posteriormente adicionado ao cru – é feita de forma bastante meticulosa: quando escrupulosamente seleccionado o carácter complexo desta casta,obtém-se estrutura e harmonia no resultado final, conseguindo ter um vinho com qualidades excepcionais, quer refinadas, quer generosas, bem como subtis, com muito charme e elegância.

A fazer champanhe desde 1975

Criado em 1975, o Grupo Pernod Ricard, co-líder mundial na distribuição de vinhos e bebidas espirituosas, possui um dos portefólios mais prestigiantes de marcas do seu sector: Absolut, Jameson, Beefeater, Ricard, Ballantine’s, Chivas Regal, Royal Salute, The Glenlivet, Mumm, Perrier-Jouët e Macieira. Com cerca de 18 000 colaboradores em todo o mundo, o Grupo Pernod Ricard apoia-se numa organização descentralizada e encontra-se fortemente empenhado numa política de desenvolvimento sustentável e, nesse sentido, promove uma política de consumo responsável. A estratégia e as ambições da Pernod Ricard assentam sobre três valores-chave que orientam o seu plano de desenvolvimento: espírito empreendedor, confiança mútua e um forte sentido ético.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.