Mercado

Base monetária contrai 8% no terceiro semestre

04/11/2016 - 10:44, Markets

As estatísticas revelam que, na comparação trimestral, o terceiro quarto do ano apresentou uma variação negativa de 8% face ao segundo e ainda uma redução acentuada de 11% face aos primeiros três meses do ano.

Por André Samuel 

andre.samuel@mediarumo.co.ao 

A base monetária, uma ampla medida do dinheiro disponível no País, baixou 4 % em Setembro ante o mês anterior, segundo dados preliminares divulgados pelo Banco Nacional Angola, BNA.

O resultado vem em linha com a expectativa do Comité de Política Monetária, CPM, da instituição.

Nesta data, a base ampla atingiu a mínima do ano, num total de 1709 biliões Kz, tendo a máxima sido alcançada em Março do corrente, com 1915 biliões Kz.

O CPM do BNA tem adoptado medidas restritivas por forma a reduzir a massa monetária em circulação e por esta via reduzir o índice de inflação no mercado nacional.

As estatísticas revelam que, na comparação trimestral, o terceiro quarto do ano apresentou uma variação negativa de 8% face ao segundo e ainda uma redução acentuada de 11% face aos primeiros três meses do ano.
Apesar deste resultado fruto de uma política monetária restritiva, o volume de dinheiro em circulação em Setembro é maior em 2% ante igual mês do ano passado.

No período em análise, as notas emitidas e as reservas bancárias totalizaram cerca de 1709 biliões Kz, dos quais 94% representaram a base monetária restrita, ou seja, as notas e moedas em circulação mais as reservas bancárias. Os títulos do Tesouro e outras operações de absorção que incluam acordos de recompra com as outras instituições financeiras monetárias constituíram os restantes 6%.

No período em análise, as notas e moedas em circulação representaram (28% da base restrita) uma diminuição de 10% face a Agosto, ao passo que as reservas bancárias (72%) contraíram em 1%.

Variação das reservas bancárias

Os depósitos dos bancos no BNA variaram negativamente ao longo do ano, tendo diminuído em 8% no segundo trimestre e 6% no primeiro para os actuais 1138 biliões Kz. Na variação homóloga, as reservas revelam um aumento de 2%, cerca de 26,5 mil milhões Kz.

Nos últimos cinco anos, o valor total mais baixo destas reservas foi em 2012, com um total de 671.325 milhões Kz.

A constituição das reservas bancárias configurou-se em 92% pelas reservas obrigatórias e apenas 8% pelas reservas livres. Em causa está a obrigatoriedade de os bancos comerciais constituírem reservas sobre os depósitos à ordem do BNA, que fixou taxas de 15% do total em moeda estrangeira e 25% em moeda nacional.

Entre as reservas bancárias obrigatórias contam-se, no início do terceiro trimestre, nomeadamente, os depósitos em moeda estrangeira, que aumentaram 4%, para 127.113 milhões Kz, e em moeda nacional, que diminuíram 2%, para 914.498 milhões Kz.

Em 2014, o coeficiente de reservas obrigatórias em moeda nacional estava fixado em 12,5%, passando para 15% em Janeiro de 2015 por decisão do BNA por forma a garantir a estabilidade de preços face às quedas que se registavam no mercado internacional de petróleo. Em Julho do mesmo ano as reservas em moedas nacionais sofreram nova alteração, para 25%, mas os depósitos em moedas estrangeiras mantiveram-se estáveis nos 15%.

Os bancos comerciais são obrigados a informar regularmente o banco central sobre estas reservas, que envolvem depósitos e operações com títulos.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.