Mercado

BODIVA movimenta 396,2 mil milhões kz de Janeiro a Novembro

22/12/2017 - 08:56, Bodiva, featured

O montante médio mensal de negociação foi de 36 mil milhões Kz, sendo que Novembro foi o mês que apresentou maior valor negociado, com 86 mil milhões Kz.

Por André Samuel

andre.samuel@mediarumo.co.ao

O Mercado de Bolsa de Títulos de Tesouro, MBTT, gerido pela Bolsa de Dívida e Valores de Angola, BODIVA, realizou, de Janeiro a Novembro do corrente ano, 1277 negócios, correspondentes a 1196 obrigações do Tesouro e 81 bilhetes do Tesouro.

Neste período, foram movimentados cerca de 396,2 mil milhões Kz, o que perfaz uma média de transacções mensal na ordem dos 36 mil milhões Kz. Estes montantes representam um aumento de 29% no acumulado das movimentações e na respectiva média, quando comparado ao mesmo período do ano transacto. De recordar que, nestes 11 meses de 2017, Novembro foi o mês com maior movimentação no Mercado Secundário de Dívida Pública, MSDP, com cerca de 86 mil milhões Kz movimentados resultantes de 284 negócios realizados.

Relativamente ao montante negociado por maturidade realizado por ano  de  vencimento,  existiu  uma maior propensão para os títulos de maturidade mais curta. Verifica-se assim que os negócios realizados nas maturidades de 2018, 2019 e 2020 representaram, 120,8 mil milhões Kz; 56,4 mil milhões Kz e 145,3 mil milhões Kz, respectivamente.

Evolução das negociações no MSDP

Durante o primeiro trimestre de 2017 foram realizados 271 negócios, movimentando pouco mais de 46 mil milhões Kz, equivalentes a 277,8 milhões USD, o que representa face ao período homólogo uma diminuição de 39%.

O montante médio mensal de negociação foi de 15,3 mil milhões Kz, sendo que Março foi o mês que apresentou maior montante negociado, com 20,6 mil milhões Kz.

Relativamente aos negócios realizados por ano de vencimento, existiu uma maior propensão para negociar títulos de maturidade mais curta. Verifica-se assim que os negócios realizados nas maturidades de 2017, 2018 e 2019 representaram 36%, 43,7% e 11,20%, respectivamente.

No que se refere ao montante negociado por maturidade, verifica-se a mesma tendência dos negócios realizados, isto é, as maturidades até três anos representam 84,25% do total.
Neste contexto, 2017, 2018 e 2019 representaram 16,12%, 54,58% e 13,55%, respectivamente.

No que se refere aos títulos mais negociados, verifica-se um aumento expressivo do peso relativo dos bilhetes do Tesouro no total do montante negociado, sendo os três títulos mais transaccionados bilhetes do Tesouro, de 91 e 364 dias. Não obstante o atrás constatado, os títulos mais negociados foram aqueles indexados à moeda norte-americana, o que, não obstante um cenário de maior estabilidade cambial, revela por parte dos investidores a necessidade continuidade da estratégia de hedging cambial.

No que se refere aos participantes finais dos negócios realizados durante o primeiro trimestre de 2017, existiu uma prevalência dos agentes de intermediação e dos clientes -empresa, que respondem, respectivamente, por 53,45% e 41,99% do montante negociado. Já os clientes particulares representam apenas 4,55%.

Quando analisamos as operações de compra, verifica-se que os clientes-empresa representam 62,89% do montante  total,  sendo  que  os agentes de intermediação e os clientes particulares representam apenas 31,83% e 5,28%, respectivamente. No que se refere às operações de venda, os agentes de intermediação representam 74,63% do montante total, logo seguidos pelos clientes-empresa e pelos clientes particulares,  que  representam  21,43%  e 3,94%, respectivamente.

Mercado mais animado no terceiro trimestre

Se nos meses que abrem o ano o cenário não foi animador para o mercado, conforme os dados supra-evidenciados, o quadro reverte-se no terceiro trimestre, com o MSDP a testemunhar a realização de 524 negócios, movimentando um total de 134,1 mil milhões Kz equivalente a 808,4 milhões USD, o que representa um aumento de 24,96% face ao período homólogo. O  montante  médio  mensal  de  negociação foi de 44,7 mil milhões Kz,  sendo  que  Agosto  foi  o  mês  em que se registou o recorde de negociação até ao final daquele trimestre.

No que se refere aos comitentes finais dos negócios realizados durante o terceiro trimestre do ano de 2017, existe uma prevalência dos agentes  de  intermediação  e  dos clientes-empresa, que respondem, respectivamente, por 53,45% e por 41,99% do montante negociado. Já os clientes particulares representam apenas 4,55%.

Quando analisamos as operações de compra, verifica-se que os clientes-empresa representam 76,20% do  montante  total,  sendo  que  os agentes de intermediação e os clientes particulares representam apenas 16,64% e 7,16%, respectivamente. No que se refere às operações de venda, os agentes de intermediação representam 78,36% do montante total, logo seguidos pelos clientes-empresa e pelos clientes particulares, que  representam  20,23%  e 1,41%, respectivamente.

Ao analisarmos com maior profundidade, constata-se que as empresas do sector do comércio a grosso e a retalho foram as que mais negociaram na posição compradora, com um total de 30,22 mil milhões Kz. Isto deve-se ao facto de estas empresas utilizarem os títulos indexados para se  protegerem  da  desvalorização cambial. Os principais vendedores foram as empresas de construção, com 17,76 mil milhões Kz, logo seguidas das de prestação de serviços, com 4,75 mil milhões Kz. Este facto deve–se principalmente por serem estas as empresas que obtiveram os títulos como forma de pagamentos por serviços prestados ao Estado, que foram comercializados no mercado secundário.

Leia mais, a edição 135 do jornal mercado, já nas bancas!

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.