Mercado

Secretário de Estado do Tesouro enaltece POPEMA

28/09/2015 - 14:57, Bodiva

O Secretário de Estado do Tesouro Leonel Silva, considerou, nesta sexta-feira, 25 de Setembro, que o Programa Operacional de Preparação das Empresas para o Mercado Accionista (POPEMA), representa uma iniciativa louvável em prol do sistema financeiro nacional. Ao discursar durante o encontro promovido pela CMC, com objectivo de promover o POPEMA junto dos operadores da […]

O Secretário de Estado do Tesouro Leonel Silva, considerou, nesta sexta-feira, 25 de Setembro, que o Programa Operacional de Preparação das Empresas para o Mercado Accionista (POPEMA), representa uma iniciativa louvável em prol do sistema financeiro nacional.

Ao discursar durante o encontro promovido pela CMC, com objectivo de promover o POPEMA junto dos operadores da banca e das seguradoras, o Secretário de Estado do Tesouro defendeu que o Executivo angolano tem desenvolvido esforços no sentido de restruturar o sistema financeiro.

“Tendo em linha de conta a visão da CMC em contribuir para que o mercado de valores mobiliários e instrumentos derivados venha a constituir-se, e evolua como alternativa preferencial de capitalização, de financiamento das empresas e como veículo, por excelência, da capitalização das poupanças da sociedade, para instrumentos de investimento diversificado, e dado os desafios que esta visão encerra, consideramos boa a iniciativa de elaborar o POPEMA”, disse.

 

O Secretário de Estado do Tesouro realçou que o Governo está empenhado no sentido de “assegurar a estabilidade macroeconómica, reformar a Administração Pública e Tributária e garantir a sustentabilidade da dívida”.

Para Leonel Silva, com base na actual conjuntura económica do país, o mercado de valores mobiliários e instrumentos derivados, através de mecanismos eficazes de transferência de capitais destaca-se como uma das soluções para que o sector financeiro, nomeadamente bancos e as seguradoras, possam captar investimento para o desenvolvimento das suas actividades.

O Secretário de Estado do Tesouro defendeu ainda que a recente aprovação do Código de Valores Mobiliários e o início das operações do segmento da dívida pública na Bolsa de Valores e Dívida de Angola (BODIVA), tornam oportuna a promoção dos segmentos do mercado de valores mobiliários que possibilitarão capitalizar as empresas nacionais.

“Dado que, o mercado de acções, como fonte alternativa de financiamento é ainda uma realidade nova em Angola, e pelo facto de o mesmo requerer exigências às empresas em termos regulatórios, organizativos e contabilísticos, considera-se primordial que estas comecem a preparar-se desde já, no sentido de verem as suas acções admitidas à negociação na BODIVA, aquando da abertura do mercado da bolsa”, sublinhou.

A adesão das empresas ao Mercado de Valores Mobiliários, confere, segundo Leonel Silva, inequívocos benefícios ao sector bancário devido às oportunidades que o acesso ao mercado acionista irá oferecer em termos de intermediação, além de permitir a capitalização das instituições financeiras, potenciando assim o aumento de crédito à economia.

“Benefícios semelhantes se anteveem para as seguradoras, que poderão, por esta via, expandir e fortalecer os seus negócios, com o desenvolvimento e oferta de mais produtos ao mercado”, concluiu.

De realçar que o Código de Valores Mobiliários, Lei nº 22/15, vigora desde o dia 31 de Agosto, data da sua publicação em Diário da República, com vista a garantir a segurança jurídica e a legítima confiança tanto dos emitentes como dos investidores.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.