Mercado

O sucesso, o deslumbramento e a queda

27/10/2016 - 10:43, Opinião

O passo para o abismo é muito curto, com todas as consequências desastrosas na empresa e na sua vida empresarial e pessoal.

Por Campos Vieira

Há empresários e gestores de sucesso que fazem capas das revistas, ganham prémios de excelência e estão no topo do mundo dos negócios. Servem de referência para muitos que estudam nas universidades de gestão, economia e finanças, que fazem os seus MBA’s, nomeadamente em Harvard, Insead e Columbia, ou que iniciam a sua carreira profissional nas maiores empresas nacionais ou internacionais. Essa referência vai ao ponto de constituir o modelo na roupa que usam, no carro que utilizam e noutros gostos e hábitos pessoais que são meticulosamente divulgados como apanágio dos talentos e génios na gestão.

São ilustres conferentes que todos querem ouvir. Debitam lições sobre a excelência da gestão, o futuro da economia, o destino das nações e a ética dos negócios. Porém, chega ao momento em que se deslumbram com o sucesso: todos conhecemos casos sonantes que se deleitaram com a sua imagem, viveram para o exterior da empresa, desfocaram- se do negócio, levaram uma vida ociosa muito acima das suas possibilidades financeiras e entraram em estado de negação consigo próprios.

Chegaram a ofender as regras básicas de gestão, actuaram ilegitimamente em proveito próprio, produziram graves prejuízos às empresas e levaram mesmo, nalgumas situações, à sua falência técnica ou mesmo insolvência.

É a queda na sua maior dimensão, desilusão e até desespero de muitos. Os seguidores ficam órfãos, mas lá aparecem outros ídolos que vão preencher o seu vazio, lhe dão alento em prosseguir, novamente, na ambição e no risco de sucesso desmedido, plástico e perverso. O seu objectivo é, afinal, ter sucesso e não valor.
Não existe sociedade perfeita em que se possa excluir a ocorrência destas situações. Mas a sua frequência é algo significativa e por vezes com efeitos devastadores na economia.

Este fenómeno pode atingir mesmo as pequenas e médias empresas, tendo repercussões à escala, mas em que o problema de base é idêntico.

O pequeno e médio empresário desenvolve o seu negócio, por vezes sem a experiência adequada, obtém êxito muito baseado no crédito bancário fácil, desbarata o dinheiro da empresa em vida pessoal faustosa e sente que o mundo está aos seus pés…

O passo para o abismo é muito curto, com todas as consequências desastrosas na empresa e na sua vida empresarial e pessoal.

Felizmente que existem muitos empresários e gestores com valor que gozam de sucesso sustentado, têm mérito demonstrado em empresas sólidas, mostram-se discretos na sua imagem externa e não cometem exageros pessoais em prejuízo das finanças da empresa, estando ao serviço desta e não esta ao seu serviço.
Estes empresários e gestores representam o futuro do nosso País e o exemplo a seguir pelas gerações vindouras!

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.