Mercado

Malparado do Standard Bank é de 5%

22/09/2015 - 12:09, Uncategorized

Malparado do Standard Bank é de 5% A taxa de 5% do crédito malparado sobre o resultado do primeiro semestre do ano corrente é considerada razoável pelo CEO da instituição, face à actual realidade no sector bancário nacional. O crédito vencido do Standard Bank Angola (SBA) atingiu 5% sobre o volume de crédito concedido no […]

Malparado do Standard Bank é de 5% A taxa de 5% do crédito malparado sobre o resultado do primeiro semestre do ano corrente é considerada razoável pelo CEO da instituição, face à actual realidade no sector bancário nacional.

O crédito vencido do Standard Bank Angola (SBA) atingiu 5% sobre o volume de crédito concedido no primeiro semestre do ano em curso, afirmou ao Mercado o CEO da instituição, António Coutinho. O crédito vencido do SBA no primeiro semestre do ano é de 2,14 mil milhões Kz, segundo cálculos do Mercado, sobre o crédito total de 42,81 mil milhões Kz concedido conforme consta no último balancete da instituição, o que, do ponto de vista prático, não teve impacto nos resultados do mesmo período, de acordo com o CEO.

Para António Coutinho, o registo do crédito de cobrança duvidosa, no período em referência, é baixo se comparado com os verificados no sector bancário nacional, pois o SBA está implantado no País há cinco anos, pouco tempo para conhecer melhor a realidade do mercado nacional. “Como os anos estão a correr, o Standard Bank passa a conhecer melhor o mercado bancário e os clientes, assim consegue-se ser mais rigoroso na concessão de crédito”, disse o CEO.

Relativamente à queda de 2,4% do volume do crédito, no semestre passado, face ao período homólogo de 2014, António Coutinho disse ter sido ocasionado pelo reembolso por parte dos devedores, ou seja “os clientes terão endossado dinheiro ao banco”. Disse também que os bancos adoptam uma posição conservadora quanto à concessão de créditos para investimento, tendo em conta a conjuntura macroeconómica actual, sob austeridade fiscal, motivada pela queda do preço do petróleo, a commodity de maior peso na balança de pagamento do País.

“Se és uma empresa grande, vais, neste momento, reduzir o investimento, à espera do que vai acontecer com o crescimento da economia, com o preço do petróleo e com a moeda estrangeira. Esta é uma medida conservadora que depois vai ter impacto na carteira da instituição financeira”, explicou sobre a redução da carteira de crédito do primeiro semestre de 2014 para o do ano corrente.

Apesar da relativa cautela na concessão de crédito para investimento, António Coutinho disse haver uma política bancária do SBA destinada ao financiamento às pequenas e médias empresas, e, neste segmento, a carteira cresceu 3% no semestre passado face ao período homólogo. Assegurou que o SBA tem capital suficiente para investir na economia nacional, mas os preponentes de crédito devem apresentar projectos de investimento interessantes.

“Basta apresentar um programa, porque a nossa instituição, para além do capital sul-africano, tem acesso ao chinês, através do grupo ICBC.” O SBA está preparado para adoptar o yuan como moeda nas trocas comercias entre Angola e China.

Por Fernando Baxi

Indicadores do 1º Semestre  2014 e 2015
1º Sem.2014 1ºSem.2015
Activos 165,27 262,47
Títulos e valores mobiliários 47,19 89,45
Créditos 43,9 42,8
Passivos 158,21 251,82
Depósitos 150,95 242,85
Resultados 798,96 2,18

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.