Mercado

Produtos financeiros de baixo risco e que oferecem segurança

13/02/2017 - 12:20, featured, Finanças, Uncategorized

Existem vários produtos de baixo risco que, mesmo que não o tornem milionário, são apostas seguras para obter algum rendimento a curto e médio prazo. O Mercado deixa aqui algumas sugestões para quem queira investir.

Por Paulo Narigão Reis | Fotografia Walter Fernandes

Acções preferenciais

As acções preferenciais são uma classe de acções que paga uma taxa predefinida de dividendos acima do dividendo atribuído às acções ordinárias, e com preferência sobre estas relativamente ao pagamento de dividendos e à liquidação de activos.

O dividendo preferencial é normalmente cumulativo, o que significa que, se por qualquer razão não for pago, deverá ser adicionado ao dividendo do exercício seguinte. As acções preferenciais não conferem, habitualmente, o direito a voto.As acções preferenciais (preference share ou non voting share em inglês) são também conhecidas como papel de víúvas (widow stocks), constituindo uma categoria de acções que conferem direitos especiais ao seu titular, normalmente de carácter patrimonial, tais como o direito de satisfação prioritária a quinhoar nos lucros de exercício da empresa e o direito à quota de liquidação, em detrimento do direito de voto (controlo da sociedade).

Normalmente não podem ser pagos dividendos às acções ordinárias sem antes terem sido satisfeitos os direitos do accionistas titulares de acções preferenciais. Este tipo de produto financeiro garante um dividendo preferencial não inferior a 5% do respectivo valor nominal, e ao reembolso prioritário do seu valor nominal na liquidação da sociedade.

Certificados de Depósitos Bancários

Os Certificados de Depósitos Bancários (CDB) são títulos de renda fixa, representativos de depósitos a prazo, utilizados pelos bancos comerciais como mecanismos de captação de recursos. Estes tipos de investimento envolvem uma promessa de pagamento futuro do valor investido, acrescido da taxa pactuada no momento da transacção.

As taxas podem ser prefixadas, pós-fixadas ou flutuantes e podem ter mais de uma base de remuneração, desde que prevaleça a mais vantajosa para o cliente. Geralmente, as taxas são proporcionais aos volumes aplicados, isto é, quanto mais recursos se investe num CDB do banco, melhor a taxa de remuneração. O risco é baixo por se tratar de rendimento fixo.

Os CDB são semelhantes a um depósito, mas sem liquidez, pois não podem ser resgatados antes do vencimento. Têm a particularidade de poderem ser endossados a outro titular e estão ao abrigo do fundo de garantia dos depósitos até determinado valor, que varia de país para país.

Para quem procura um produto de capital garantido, baixo risco e rendimento fixo para aplicar as suas poupanças a longo prazo, os Certificados do Tesouro são uma das melhores opções disponíveis.

Certificados de Tesouro

Os Certificados de Tesouro são títulos de dívida pública, emitidos pelos Estados de modo a poderem financiar a sua actividade, seja para construir infraestruturas ou suportar as despesas de funcionamento corrente do Estado, entre outros. Os riscos são baixos, e a hipótese de perder o dinheiro investido verifica-se se um Estado entrar em incumprimento. Como é natural, o retorno do investimento depende do valor do juro, que varia conforme o país e de acordo com os níveis dos juros da dívida pública. Em Portugal, por exemplo, a taxa ilíquida varia entre 1,40% anualmente do 1.º ao 5.º ano e os 6,10% para uma aplicação de 10 anos. Se optar por uma aplicação a 5 anos, a taxa é de 4,85%.

Caso queira resgatar o produto antes de tempo, irá perder a componente de juros correspondente ao último vencimento de juros, ao final de cada ano.

Fundos de Tesouraria

Os Fundos de Tesouraria são fundos de baixo risco, abertos, que fazem essencialmente aplicações em instrumentos financeiros de curto prazo, como papel comercial, depósitos no mercado monetário interbancário ou bilhetes do tesouro.

Devido ao seu baixo risco, estes fundos tendem também a ter valorizações baixas e pouco voláteis.

No entanto, devido à crise financeira de 2008, e ao congelar de alguns mercados em que estes fundos investiam (ABCP), bem como a falências extremamente rápidas (caso da Lehman Brothers), alguns destes fundos experimentaram uma volatilidade mais elevada e consequentes perdas.

Devido à sua baixa rendibilidade e volatilidade, estes fundos estão também geralmente expostos a uma comissão baixa, quer de gestão quer de subscrição e resgate, podendo mesmo estar isentos destas últimas duas comissões. É também possível efectuar o resgate total ou parcial a qualquer momento, ficando o dinheiro disponível à ordem no dia seguinte ao pedido.

Fundo do Mercado Monetário

Um Fundo do Mercado Monetário é um fundo mútuo que tem como objectivo principal que o investidor não perca qualquer valor do dinheiro empregado.
Por natureza, os fundos mútuos do mercado monetário não envolvem muitos riscos. Estes fundos devem investir em títulos de seguros por lei, tais como o papel comercial ou títulos do tesouro.

Sem a integração de acções de alto risco nem instrumentos de investimento mais variáveis, o mercado monetário não tem o potencial de outros fundos mútuos para trazer dinheiro. O risco potencial é, também, acentuadamente baixo.

Lançados em meados dos anos 1970, os fundos do mercado monetário tornaram-se extremamente populares no início da década de 1980, quando as taxas de juro e a inflação dispararam.

Existem muitos fundos do mercado monetário que fazem parte de um grupo maior de fundos.

Isto significa que os investidores podem transferir os recursos empregados de um fundo para outro sem terem qualquer ónus.

Seguros de Capitalização

Os Seguros de Capitalização não são seguros normais, já que não cobrem qualquer tipo de risco.

Antes pelo contrário, são produtos financeiros destinados à constituição de poupanças, que garantem, na generalidade das vezes, o capital investido e que são estruturados, juridicamente, como um seguro de vida. Logo, para subscrever um seguro de capitalização, necessita de subscrever uma apólice de seguro e nomear os seus herdeiros ou beneficiários em caso de morte.

Existem dois tipos de seguros de capitalização: Com capital garantido — É semelhante a um depósito a prazo ou aos certificados de aforro.
Garante o capital investido e normalmente uma taxa de retorno que, no entanto, é invariavelmente baixa. Sem capital garantido — É um instrumento financeiro semelhante a outros fundos de investimento, pelo que podem ter um retorno variável.

Em suma, os Seguros de Capitalização são uma opção de investimento para quem pretende capital e rendimento garantido em prazos superiores a cinco ou oito anos.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.