Mercado

Shoprite compra obrigações no valor de 59 milhões USD

14/03/2017 - 10:38, Business, Uncategorized

Para fazer frente a possível desvalorização do kwanza, a rede sul-africana indexou valores de até 59 milhões de USD em obrigações do Tesouro.

Por Líria Jerusa

liria.jerua@mediarumo.co.ao 

O Grupo Shoprite adquiriu no último semestre de 2016 obrigações do Tesouro indexadas ao dólar no valor equivalente a 59 milhões USD (770 milhões de rands) como forma de proteger-se da possível desvalorização do kwanza. A informação consta no relatório de contas da empresa referente ao ano de 2016, recentemente apresentado.

O documento, entretanto, não faz referência a que percentagem o referido valor corresponde na receita registada no País. Cálculos do Mercado fixam em cerca de 6,5% da receita total do grupo fora do mercado sul-africano, que foi de 920 milhões USD.

Por outro lado, os resultados confirmam as cogitações feitas em meados do ano passado, perspectivando–se um aumento significativo das vendas em Angola devido à enchente que se registava nas diferentes lojas que tem no País. Segundo os dados, Angola registou o maior crescimento de vendas do grupo no mercado fora da África do Sul, cerca de 155%, enquanto o número de clientes aumentou cerca de 70% como resultado da disponibilidade dos produtos numa altura em que escasseavam noutros supermercados devido a escassez de divisas.

“Resultando em um aumento constante das vendas em moeda estrangeira de 155,4% em Angola e 60,1% na Nigéria. Durante o período de referência, a base de clientes dos 29 supermercados do grupo em Angola cresceu 70%, e a da Nigéria, onde temos 23 pontos de venda, 56,3%”, lê-se no relatório, que, entretanto, não faz referência aos números correspondentes a cada um dos mercados fora da África do Sul onde registou “excelentes resultados”.

“Os 221 supermercados e 13 liquorshops geraram um volume de negócios que cresceu 32,3%, passando de 9,735 mil milhões de rands (cerca de 750 milhões USD) para 12,877 mil milhões de rands (993 milhões USD)”.

O relatório também responde à interrogação sobre como a Shoprite conseguiu manter a oferta dos produtos, contrariamente às demais redes que estavam com as prateleiras vazias.

“Apesar da escassez crónica de moeda estrangeira, especialmente nos países produtores de petróleo, como Angola e Nigéria, o grupo gozava de uma vantagem competitiva significativa, na medida em que poderia financiar os seus balanços externos, ao contrário de muitos outros comerciantes na região.”

Reconhecendo ser difícil manter o mesmo resultado em termos de vendas, o grupo manifesta a intenção de manter fidelidade dos novos clientes.

“A administração está ciente de que tais níveis de crescimento podem não ser sustentáveis a longo prazo. No entanto, estamos confiantes de que a maioria dos novos clientes, tendo-se familiarizado com os nossos preços e qualidade dos produtos disponíveis, deverá manter-se fiel mesmo quando as condições do mercado melhorarem.”

Detentora de 2563 pontos de venda em mais de 15 países africanos, a Shoprite está em Angola desde 2003.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.