Mercado

Fábrica de cimento do Cuanza Sul paralisada por falta de combustível

19/10/2017 - 12:07, Business, featured

O director provincial da Indústria no Cuanza Sul, Honorato Konjanssile, disse que a situação é preocupante.

A Fábrica de Cimento do Cuanza Sul (FCKS) deverá ter os serviços paralisados a partir de 1 de Novembro devido à incapacidade de adquirir combustível, tendo a administração da empresa informado já a Direcção da Indústria daquela província, noticiou a agência de notícias Angop.

Na carta enviada à direcção provincial a administração da FCKS informa que a situação arrasta-se desde Janeiro passado, juntando-se a outros problemas que o sector atravessa e que têm feito com o que preço do saco de cimento tenha aumentado.

O director provincial da Indústria no Cuanza Sul, Honorato Konjanssile, disse que a situação é preocupante, tendo em conta que se trata da maior unidade fabril da província e um dos grandes empregadores.

Dada a escassez de cimento, o preço do saco de 50 quilogramas já duplicou no mercado angolano, assunto que inclusive foi abordado pelo Presidente João Lourenço no seu discurso sobre o estado da Nação, na segunda-feira.

Lourenço disse nessa ocasião ser urgente pôr cobro à situação de concorrência desleal que se verifica actualmente na indústria do cimento do país, tendo prometido submeter ao Parlamento uma lei da concorrência, para eliminar as imperfeições do mercado ainda existentes na economia, como os monopólios.

O saco de cimento passou nos últimos meses de 1200 kwanzas para 2500 kwanzas em Luanda e 3500 no interior do país, sobretudo na província do Moxico, decorrente da paralisação de duas unidades cimenteiras

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.