Mercado

SonAir prepara novos serviços e ligações entre províncias

10/11/2017 - 09:47, Business, featured

Companhia aérea da Sonangol aposta em criar novas rotas interprovinciais. Ligação a Houston com balanço positivo.

Por Estêvão Martins 

estevao.martins@mediarumo.co.ao

A SonAir quer avançar com o projecto de voos interprovinciais, ligando diferentes capitais de províncias, por forma a colmatar o défice nas ligações aéreas entre as principais cidades do País, revelou a directora comercial da companhia.

Tatiana Mayunga, que falava, no fim da semana passada, no First Friday Club – evento promovido pela Câmara de Comércio Estados Unidos-Angola (USACC), que mensalmente junta executivos nacionais e americanos, para estimular as trocas comerciais bilaterais – , lembrou que,  actualmente,  a  subsidiária da Sonangol para a aviação comercial e corporativa realiza, a partir de Luanda, um único voo, ligando as cidades de Cabinda/Soyo e Mbanza Congo.

“Queremos apostar neste segmento, porque não há ligações aéreas entre as cidades capitais do País”, disse, notando que a companhia vem efectuando estudos para identificar novas oportunidades de negócios e para explorar igualmente novas rotas.

O objectivo do programa, destacou, tem por objectivo estimular o crescimento económico, ligando as principais cidades do País umas às outras.

A directora comercial acrescentou que a companhia aérea tem reavaliado o curso das suas actividades e criado várias iniciativas internas, tendo projectos de lançamentos de novas rotas, não só nacionais como também regionais, tendo sempre como enforque o suporte à actividade petrolífera. Nos últimos anos, a SonAir focou–se nas rotas que ligam a capital do País às cidades da Catumbela, província de Benguela, Lubango (Huíla), e Soyo (Zaire). Recentemente, foi lançada a ligação Luanda-Cabinda.

“Procuramos ser uma empresa focada no turismo e, para tal, procuramos melhorar os nossos serviços com novas parcerias, para continuar a dar suporte ao sector de transporte aéreo no País e tornar o segmento mais competitivo ainda”, disse. A concorrência, de acordo com Tatiana Mayunga, é encarada com bastante atenção. Tatiana Mayunga refere  que,  não  sendo  um  factor preocupante, serve até de algum suporte para a melhoria dos serviços prestados pela operadora.

Leia mais do Jornal Mercado edição 129, já nas bancas!

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.