Mercado

Brunch With…Hélder Kiala

21/02/2018 - 08:56, Brunch with, featured

É movido diariamente pela paixão que sente pela liderança e pela competitividade no mundo profissional. Formado em Engenharia Informática, já foi vendedor ambulante, tornou-se num empreendedor de sucesso e é, actualmente, CEOda 7 Mobile.

Por Vânia Andrade | Fotos Carlos Muyenga

Hélder Kiala, CEO  da empresa 7 Mobile, considera-se um empreendedor, competitivo por natureza, qualidade presente desde tenra idade, fruto dos ensinamentos que recebeu dos pais, conta ao Mercado.

Ter a possibilidade de estar à frente dos acontecimentos, de liderar pessoas e projectos, foram sempre motivos de inspiração para Hélder Kiala. “A liderança sempre se fez sentir na minha vida. Saber liderar ou lutar para o fazer é o que me move no dia-a-dia”, confessa.

Devido às exigências do pai, o nosso entrevistado recorda-se de nunca ter tido a oportunidade de ficar em casa parado. Ele e os irmãos, ainda que estivessem de férias, eram obrigados a trabalhar em estágios não remunerados arranjados pelo pai. Para ajudar a família a ultrapassar as dificuldades, depois de terem perdido todos os bens durante os confrontos armados, Hélder Kiala decidiu com a mãe comercializar materiais de construção civil no mercado do Roque Santeiro, actividade que durou cerca de três anos.

Nessa altura, frequentava o ensino médio no Makarenkeo, agora Instituto Médio Industrial de Luanda (IMIL), no curso de electricidade, depois de ter concluído o ensino primário e secundário em escolas públicas nacionais. Ambicionava ser informático, mas acabou por estudar electricidade, devido ao défice que a Universidade Agostinho Neto apresentava em docentes da área.

As adversidades obrigaram-no a ir para o estrangeiro para realizar o sonho académico numa altura em que a informática começava a dar os seus primeiros passos em Angola. Decidido, seguiu para Joanesburgo, África do Sul, onde fez uma formação técnica em Engenharia Informática na Damelin Computer School, para depois fazer uma pós-graduação em Gestão de Empresas na University of Wales, no País de Gales.

O seu primeiro emprego oficial foi na British American Tobacco Angola, a segunda maior empresa de tabacos do mundo, onde ingressou como responsável da área de informática.
Nessa altura, o engenheiro informático era movido pelo sonho de criar o próprio negócio e de se aposentar aos 47 anos, pelo que manteve sempre a determinação de sair da British America Tobacco Angola para seguir outro rumo.

No entanto, teve de adiar a decisão por 15 anos, porque foi desafiado por um dos seus mentores a ficar e a participar n um plano de desenvolvimento da empresa.
“Aceitei o desafio e, durante dez anos, aprendi a explorar todos os erros que poderia eventualmente cometer quando tivesse a minha empresa”, recorda. Acabou por deixar a área dos computadores para frequentar um estágio de Recursos Humanos, que lhe possibilitou, depois de muito empenho, assumir a direcção da área. Dentro da multinacional, Kiala esteve ligado a vários trabalhos em finanças e gestão de projectos, exerceu funções na área comercial e, depois de ter adquirido know-howna África do Sul em marketing, ascendeu de cargo e assumiu a direcção da referida área na empresa.

Concretização do primeiro projecto

Depois de 15 anos a colaborar com a British American Tobacco Angola, Kiala achou que tinha chegado o momento de entrar efectivamente para o mundo do empreendedorismo.

Embora que muito antes, em 2002, já havia criado o seu primeiro negócio, que consistia numa empresa de estafetas. “ O projecto não correu como previsto. Foram surgindo outros, mas nenhum chegou a ser um sucesso”, confessa. Em 2010, decidiu dar seguimento à paixão que tinha por corridas de automóveis, actividade que praticava na África do Sul. O vencedor da classe A do Campeonato de Western Club de Fórmula Libre (em monolugares) identificou uma carência dos pequenos carros em Luanda e decidiu criar uma escola que forma pilotos e que tem também um espaço de lazer, no Estádio 11 de Novembro. Criou, ainda, um projecto que distribui ração animal a algumas empresas, inclusive grandes superfícies, e logo depois surgiu a oportunidade de fazer uma parceria com a 7Mobile, uma empresa nacional que apresenta smartphones adaptados para o mercado angolano, onde se tornou CEO. “Com a 7 Mobile conseguimos mudar a ideia que as pessoas tinham sobre os produtos feitos por angolanos, e hoje há maior receptividade dos consumidores.” A par do que já foi dito, Hélder Kiala tem um projecto ligado à mentoria estratégica. O objectivo é passar a experiência que adquiriu no mundo corporativo a alguns empreendedores. Pretende também lançar o seu primeiro livro no próximo ano.

Integridade gera confiança

O nosso convidado nasceu há 40 anos, na província do Cuanza Norte, e passou parte da sua infância entre a sua terra natal e a província do Bengo. Casado e pai de quatro filhos, considera-se um sonhador de sucesso. Para si, a integridade gera confiança, e, por ser uma palavra que associa a tudo o que faz, considera ser um dos principais valores que um empreendedor deve levar consigo. Aproveita as horas livres para pilotar kartse ler tudo o que lhe agrade, embora nos últimos 12 meses tenha dedicado a leitura ao programa específico que criou para as aulas de karting. “Sou daquelas pessoas que não reclamam da comida, como tudo o que a minha esposa faz, sou um eterno aventureiro. Sempre que posso, conheço sítios novos. A última viagem exploratória que fiz foi a Barcelona com um grupo de amigos”, finaliza.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.