Mercado

China financia ENDE num projecto que atinge 310 mil novos clientes

22/12/2017 - 11:13, featured, Finanças

A Empresa Nacional de Distribuição de Electridade (ENDE) vai construir, em cinco províncias, nove subestações e manter mil postos de transformação que irão beneficiar, pelo menos, 310 mil novos clientes.

Na cerimónia de posse dos novos membros dos conselhos de administração das empresas públicas do sector dos transportes, energia e águas, presidida pelo Ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, a recém-nomeada PCA da ENDE, Ruth de Nascimento Safeca, adiantou, à margem da cerimónia, o projecto mais imediato da empresa de distribuição eléctrica que vai contar com financiamento da China, abrange as províncias de Luanda, Huambo, Benguela, Huila e Cabinda e tem como objectivo garantir o maior acesso da população à luz eléctrica – estima-se que veja a atingir cerca de 310 mil novos clientes.

Por outro lado o novo Presidente do Conselho de Administração Empresa Pública de Águas (EPAL-E.P), Diógenes Orsini Diogo, divulgou a intenção de modernizar a empresa, com a criação de um sistema de telemetria e telegestão da água. Os novos sistemas irão permitir o controle em tempo real do sistema, permitindo o conhecimento das reais condições de escoamento e esclarecer as solicitações e ocorrências diárias.

Na cerimónia, o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, exortou as empresas públicas a primarem pela eficácia e eficiência dos seus serviços, acabando com a ideia errada de que as empresas públicas não precisam ser eficientes. “As empresas púbicas estão no mercado e dentro do mercado competem com outras empresas de todo o tipo, enfrentando por isso um ambiente de concorrência e, se elas não forem eficientes terão de sair do mercado”, afirmou Manuel Nunes Júnior.

As empresas públicas devem, exortou o ministro de Estado do Desenvolvimento Económico, cumprir o seu objectivo social, serem eficientes e capazes de atingir os objectivos com o mínimo de custos.

 

 

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.