Mercado

Assembleia Geral das Nações Unidas, 128 países contra Trump

22/12/2017 - 15:27, Global Report

Na assembleia convocada em caráter de emergência, 128 países, votaram a favor de uma resolução que condena a acção americana.

A votação ocorreu na última quinta-feira, 21, em uma Assembleia Geral convocada em caráter de emergência a pedido de países árabes e muçulmanos. Um total de 128 países votaram a favor da resolução, nove votaram contra, 35 se abstiveram e 21 não se apresentaram para a votação. Cerca de 120 países votaram a favor de uma resolução na Organização das Nações Unidas que condena o reconhecimento por parte dos EUA de Jerusalém como capital de Israel.

“ Continuaremos com nossos esforços na ONU e em todos os fóruns internacionais para dar fim a esta ocupação e estabelecer nosso Estado Palestino com Jerusalém Oriental como capital”, disse Nabil Abu Rdainah, porta-voz do presidente da Autoridade Nacional Palestina, Mahmoud Abbas.

Esta semana, o presidente americano, Donald Trump, chegou a ameaçar cortar a ajuda financeira dos países que votassem a favor da resolução. Apesar das ameaças, alguns de seus aliados como Egito, Jordânia e Iraque, que recebem grande ajuda militar e econômica dos EUA, não deixaram de votar a favor da resolução. “Eles tomam centenas de milhões de dólares e até bilhões de dólares, e depois eles votam contra nós. Bem, nós estamos observando esses votos. Deixe-os votar contra nós. Nós vamos economizar muito. Nós não nos importamos”, disse Trump após a votação.

EUA, Israel, Guatemala, Honduras, Ilhas Marshall, Micronésia, Nauru, Palau e Togo votaram contra. Já Argentina, Austrália, Canadá, Croácia e Colômbia abstiveram. A Ucrânia está na lista dos países que não se apresentaram para votar. Já o Brasil está entre os mais de 100 países que votaram a favor da resolução.

A embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, disse que a votação não vai impedir que os EUA transfiram sua embaixada para Jerusalém. O voto “será lembrado como o dia em que seu país foi atacado pelo ato de exercer o direito enquanto nação soberana. Os EUA terão sua embaixada em Jerusalém”, disse a embaixadora.

 

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.