Mercado

Londres admite que não avaliou impacto do Brexit

13/12/2017 - 08:48, Global Report

David Davis, ministro para o Brexit, diz que o Reino Unido deve estar preparado para “uma mudança paradigmática”.

O ministro britânico para o Brexit, David Davis, admitiu, em plena Câmara dos Comuns, que o governo não fez uma avaliação formal do impacto da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) na economia nacional. Davis, que falava numa comissão da câmara baixa do parlamento britânico, disse que o Reino Unido deve estar preparado para “uma mudança paradigmática” na forma como a economia funciona, a um nível equiparável ao da crise financeira de 2008.

“Não foi feita uma avaliação sistemática do impacto”, admitiu Davis, antes uma “análise por sectores”, que não é “um prognóstico” sobre o que se vai passar na economia britânica após a saída da UE, prevista para 29 de Março de 2019.
Davis respondia a perguntas do presidente da comissão parlamentar para o Brexit, o trabalhista Hilary Benn, que considerou “bastante estranha” a decisão de não fazer uma avaliação, quando Londres se prepara para negociar a futura relação comercial com a UE dentro de semanas.

Os líderes europeus vão decidir na cimeira de 15 e 16 de Dezembro se há condições para passar à segunda fase das negociações, relativa à futura relação comercial entre o Reino Unido e a UE e ao período de transição após o Brexit.

Fronteira da Irlanda

A fronteira irlandesa é umas das questões que mais celeuma têm levantado nos últimos dias. Com o Brexit, a Irlanda do Norte, território britânico, deixa de pertencer à UE e torna-se a única parte do Reino Unido a fazer fronteira com um Estado-membro da União, no caso, a República da Irlanda. Na segunda-feira, a primeira-ministra britânica, Theresa May, apresentou aos dirigentes europeus um princípio de acordo sobre a saída do Reino Unido da UE, mas à última hora os unionistas norte-irlandeses declararam a sua oposição aos termos do projecto de acordo sobre a fronteira irlandesa.

“Apesar de ter havido troca de informações ao longo das últimas semanas, só recebemos o texto por escrito ao final da manhã de segunda-feira”, disse Nigel Dodds, líder parlamentar do Partido Democrático Unionista (DUP) da Irlanda do Norte em Westminster. “Imediatamente após recebermos o texto, indicámos a altos representantes do governo que era claramente inaceitável”, acrescentou.

A solução encontrada por Londres previa um “alinhamento da regulamentação” da Irlanda do Norte e da República da Irlanda para evitar a reintrodução de uma fronteira física de controlo da circulação de pessoas e bens. A solução chumbada pelo DUP foi também contestada pelos defensores do “hard Brexit” no seio do Partido Conservador, mostrando a cisão que existe no governo.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.