Mercado

Brunch With… José Garrido

20/11/2017 - 09:39, Brunch with

É o mais recente partnerda KPMG Angola e partilha com o Mercado os desafios que enfrentou e o caminho que percorreu até chegar às Big Four da consultoria.

Por Líria Jerusa |  Fotografia Carlos Muyenga  

Aos 10 anos sonhava ser o presidente da Coca-Cola, pelo simples facto de apreciar bastante a bebida.

Entretanto, o menino cresceu e os sonhos mudaram, e José Garrido integra, hoje, a equipa da KPMG, uma das mais conceituadas empresas de consultoria.

Desde cedo que José Garrido já dava sinais de que não seria mais um entre a multidão, e é desta forma que tem vindo a trilhar o seu caminho, trabalhando afincadamente para se destacar entre os demais. Oriundo de Luanda, e primeiro filho entre cinco irmãos, José Garrido nasceu em 22 de Abril de 1981 e viu sua infância dividida entre o município do Rangel (casa dos pais) e o bairro Marçal, na casa dos avós.

Em 1991, por motivos familiares, emigrou para Portugal com família, e por lá conclui toda a formação académica e deu início ao percurso profissional.

“A minha mãe esforçou-se muito para nos garantir o acesso e apermanência no ensino. E desde cedo me apercebi de que a minha tarefa era tirar o melhor partido disso, absorvendo o máximo que conseguisse para estar preparado o melhor possível para o futuro”, recorda.

A necessidade de custear os estudos fez com que José Garrido entrasse cedo para o mercado de trabalho. Aos 17 anos, foi obrigado a conciliar os estudos com o trabalho. “Comecei a trabalhar cedo, o meu primeiro emprego foi como vendedor de TV por cabo em part-time” , revela.

O interesse e o gosto que foi criando ao longo dos tempos pelo mundo da tecnologia levaram-no a licenciar-se em Informática e Gestão de Empresas no Instituto Universitário de Lisboa-ISCTE.

No final do curso, foi convidado para trabalhar como estagiário na operadora móvel Vodafone, onde acabou por ficar por pelo menos dois anos, uma experiência que serviu de bagagem para as outras áreas em que viria a trabalhar. “A Vodafone foi um projecto que até hoje trago no coração”, lembra.
Após a conclusão da formação académica, em 2005, José Garrido enveredou pela área de consultoria e começou a trabalhar neste ramo, mas sempre voltado para a área de tecnologia.

“Escolhi consultoria, porque queria aprender muito e intensamente. Nasceu cedo em mim esta paixão, principalmente pelo facto de conseguir ajudar clientes diferentes, com preocupações distintas e encontrar resposta aos seus desafios com a correcta abordagem, neste caso tecnológica. Nunca me desvinculei da área de tecnologia de informação”,recorda o nosso entrevistado.

O regresso a Angola

Em 2013 regressou ao País e, passado um ano, foi convidado para integrar os quadros da KPMG Angola, na função de director de IT Advisory, na sequência de um investimento que a firma havia feito na altura para aquela área. Como director de IT Advisory da KPMG, José Garrido foi desafiado a estabelecer uma equipa local para aquela área.

“Enquanto director de IT Advisory, executei as minhas funções da melhor maneira possível, com muito entusiasmo e dedicação”, afiança. O fruto da dedicação demonstrada no desempenho das tarefas laborais catapultou-o para outros níveis de hierarquia, sendo assim impulsionado recentemente como partner da KPMG Angola. “Para além de ser um desafio, é também para mim um sinal de algum reconhecimento pelo trabalho que tenho vindo a desenvolver”, referiu.

Fazer parte de uma das Big Four da consultoria mundial e ser destacado como partner representa actualmente um dos grandes desafios que José Garrido garante desempenhar com “bastante afinco”.

“Temos mais de 100 pessoas a trabalhar connosco, 90% das quais, angolanas. E muitas olham para mim como um modelo a seguir, e faz parte das minhas responsabilidades contribuir para o desenvolvimento profissional delas e prepará-las para que contribuam igualmente no fortalecimento das instituições do País”, diz.

Paralelamente , outro objectivo do mais recente partner é fazer que a KPMG seja cada vez mais reconhecida em Angola como uma escolha clara e inequívoca por parte das empresas. Quando o questionamos sobre o seus sentimentos quanto ao percurso que fez até agora, José Garrido afirma: “ Tenho bastante orgulho do meu percurso até aqui, tem sido construído com muito trabalho, dedicação e conhecimento.”

O apoio das consultoras em tempo de crise…

Falando sobre como as consultoras podem ajudar as empresas a atravessar a difícil situação que o País enfrenta, José Garrido diz: “É preciso combinar a força e o know-how de uma rede verdadeiramente global, associando a isso o enfoque local e o conhecimento da realidade do nosso País.” O jovem acrescenta ainda que não basta ir buscar uma melhor prática e tentar aplicá-la aqui, é preciso conhecer as especificidades do mercado e das empresas nacionais.

Por outro lado, o nosso entrevistado diz que, apesar do momento desafiante da economia, a KPMG Angola manteve e reforçou o investimento, o que tem deixado a consultora numa posição privilegiada para contribuir no desenvolvimento da economia e das instituições do País.

Sobre os seus sonhos e princípios…

Ao perguntarmos sobre as suas ambições e sonhos, o nosso convidado revela que almeja apenas contribuir cada vez mais para o desenvolvimento do meio e dos que o rodeiam, seja a nível profissional, familiar ou social. Sobre os seus princípios e valores, afirma que se pauta sempre pelo trabalho em equipa e pelo respeito pelas características individuais. Diz ainda que agir com integridade e olhar com compromisso para as comunidades fazem sempre parte da sua forma de estar na vida.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.