Mercado

Mel Jewel. Para quem se quer apaixonar por jóias “doces e sedutoras”

07/11/2017 - 15:23, Life & Arts

A nova marca de joalharia, criada em Portugal por Luísa e Marta, chega já aos EUA, Coreia do Sul ou Vietname. São peças de mulheres para mulheres.

Are you ready to fall in love?

A frase acompanha cada peça da Mel Jewel, marca de joalharia “sedutora, moderna e elegante”, da responsabilidade de Luísa Pedroso e Marta Cabido Sá. Este foi o teaserusado nas redes sociais, em Setembro de 2016, para o lançamento da marca portuguesa, que chega já a mercados tão distantes como os EUA ou a Coreia do Sul.

E que continua, diariamente, a desafiar os clientes a deixarem-se apaixonar pelos seus artigos. O lema vai inscrito no interior dos pequenos sacos onde cada jóia é enviada, mas, também, no postal que acompanha a encomenda. Uma “pequena atenção” para que esta paixão possa ser partilhada com quem mais se gosta. Luísa Pedroso trocou a Faculdade de Engenharia pela Escola Superior de Artes e Design, onde fez o curso de Design de Joalharia. Conheceu Marta Cabido Sá, designer de comunicação, numa das várias empresas em que trabalhou, e a amizade deu lugar à vontade de avançarem com um projecto conjunto.

No fundo, tornar realidade o sonho de uma vida. Mas não foi fácil. “Levámos dois anos a ganhar coragem para arriscarmos”, diz Marta Cabido Sá. Tomada a decisão, oito meses depois estava criada a Mel Jewel. O investimento de arranque, na ordem dos 3000 EUR, foi feito com recurso a capitais próprios, mas o caminho foi facilitado porque Luísa Pedroso tinha já uma oficina montada. “À medida que me fui apaixonando pela joalharia, em cada Natal ou aniversário, a minha família oferecia-me livros, máquinas, ferramentas diversas.

Foram 16 anos a construir este pequeno espólio, um cantinho meu, muito especial, mas que estava em standby porque tinha contractos de exclusividade nas empresas em que trabalhei.”

Escolher o nome foi o primeiro desafio, porque o objectivo era criar uma marca para o mundo. “Comecei por escrever jewele percebi que, olhando para ela invertida, num espelho, tinha a palavra mel, uma designação curta e fácil de pronunciar noutras línguas, e que nos remete para doçura, como se quer que a joalharia seja”, explica Marta Cabido Sá. Além disso, é a soma da inicial de cada uma das fundadoras: Marta e Luísa.

Em prata 925, com banho de ródio (metal precioso da família da platina, extremamente brilhante e com grande resistência, que evita a oxidação da prata), ou em ouro de 19 quilates, a Mel apresenta “peças intemporais” porque “uma jóia é para sempre”. E porque é uma marca de mulheres para mulheres, cada colecção destaca-se por uma “linguagem distinta” e assume o nome de uma mulher que influenciou as suas criadoras, como Anna, Ella, Grace, Harper, Jane, Louise, Margaret ou Olivia.

Mas há, também, a colecção de anéis de noivado, a Marry Me, ou os colares da Cool Gang, dedicados às mães. O desenho, conceptualização e protótipos são feitos na oficina da empresa e, depois, a produção final é subcontratada a artesãos de Gondomar, no Norte de Portugal. A Mel Jewel está à venda em cinco espaços comerciais em Portugal – no Porto, em Lisboa e em Aveiro, bem como na loja onlineda marca, através da qual já chegou à Coreia do Sul, Vietname, Estónia e à Holanda. Nos Estados Unidos é vendida em ark+nomad, e, no Reino Unido, na NEO by Lena.

Em breve, Luísa e Marta admitem começar a marcar presença em feiras internacionais. Criadas por Luísa Pedroso e Marta Cabido Sá, são jóias produzidas artesanalmente. Um anel de prata da colecção Ella é a peça mais barata (20 EUR). Um anel de noivado, em ouro branco e pedras preciosas, é a mais cara: 550 EUR.

Gosta deste artigo? Partilhe!

Deixe o seu comentário

You must be logged in to post a comment.